conecte-se conosco

Nacional

Homem ganha fama por bater em mulheres na rua em região central de São Paulo

Publicado

source
rua arrow-options
Reprodução/Google Street View

Agressões acontecem frequentemente na esquina das ruas Veridiana e Jaguaribe

Uma sequência de agressões, cometidas supostamente pela pessoa, assusta moradoras do bairro da Vila Buarque, na região central de São Paulo. De acordo com moradores e comerciantes da área, há vários meses um homem de identidade desconhecida agride mulheres que passam pelas ruas Dona Veridiana e Jaguaribe – próximo à Santa Casa de Misericórdia – com tapas e socos, sem qualquer tipo de intervenção .

Há poucas semanas, a escritora Carol Martins publicou em sua rede social a experiência da agressão que sofreu.”Levei um soco na costela e não foi um assalto. Foi uma agressão gratuita”, conta. Assustada, a profissional diz que recebeu ajuda de taxistas que estavam no local. “Eles disseram que todos os dias esse homem agride uma mulher diferente. Por que ninguém nunca fez nada?”, questiona.

Leia mais: Homem declara “ego masculino ferido” ao agredir a esposa em SP

Entre os comerciantes que trabalham na esquina onde Carol foi agredida, acredita-se que o suspeito seja um paciente psiquiátrico sem acompanhamento. Ele é visto circulando pelo local há muitos meses. “Não é um morador de rua, mas é pedinte. Sabemos que fica em pensões da redondeza e às vezes pede comida nos restaurantes da rua”, conta um homem que trabalha como garçom no bairro, que preferiu não se identificar. 

Leia mais:  Laudo mostra que jovens foram torturados por soldados do Exército no Rio

Um dos motoristas, que há oito anos trabalha no ponto de táxi descrito pela vítima, ainda acrescenta que o homem agride mulheres mas demonstra respeito por homens. “O pessoal daqui já quis se juntar pra bater nele, não sei se ele apanhou. Quando a gente que é homem se aproxima ele já chama de ‘senhor’. Acho que ele tem medo de quem pode revidar”, diz. 

A também escritora Gabriela Soutello, que mora no bairro vizinho de Santa Cecília, contou ter sido agredida da mesma maneira no final de outubro, por um homem com a mesma descrição física: alto, magro, de meia-idade. “Eu não fiz nada, mal olhei para a pessoa e recebi um soco no ombro”, relembra. 

Gabriela conta que, apesar do susto, não considerou a ideia de registrar um boletim de ocorrência na hora. “Me senti impotente e assustada. Mal sabia como voltar para casa”, justifica. Ela ainda acrescenta que a experiência gerou um trauma sobre a região. “Agora eu ando sempre com medo, principalmente nessa esquina. Foi uma coisa muito invasiva”, diz. 

Leia mais:  Trabalhador fere jiboia de 2 metros com roçadeira durante limpeza de terreno

Além de Gabriela e Carolina, outros ataques dessa natureza aconteceram no local. “Ajudei uma moça por volta das 13h de um sábado, há uns 15 dias atrás. Ela disse a mesma coisa: que um homem bem vestido deu um soco gratuito na barriga dela”, comentou uma usuária no grupo do bairro Vila Buarque no Facebook, no qual o caso foi exposto entre os moradores.

Leia mais: Brasil tem onda de feminicídios no início do ano, com mais de 100 casos em 1 mês

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP), não há registros de ocorrências formais com essas características na região. A falta de formalização é um dos fatores que dificultam o mapeamento e ação da polícia sobre o caso. 

Em casos de emergência psiquiátrica em que o paciente oferece riscos de injúria grave a si mesmo ou aos outros, o Ministério da Saúde recomenda que o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) seja acionado para uma avaliação imediata e, caso necessário, uma intervenção. 

Comentários Facebook
publicidade

Nacional

Chuva forte alaga ruas e causa destruição e morte na região de Belo Horizonte

Publicado

source
Chuva arrow-options
Reprodução/TV Globo

Chuva causou destruição em diversos pontos da cidade mineira

Um novo temporal atingiu Belo Horizonte, na noite desta terça-feira (28), e voltou a alagar ruas e avenidas. A Defesa Civil registrou chuva extremamente forte em quatro regiões da capital mineira. Em apenas quatro horas, choveu cerca de 150,8 mm ou metade da média histórica de chuva para janeiro.

Leia também: Ministério da Educação libera acesso ao resultado do Sisu

De acordo com o G1, moradores do bairro Buritis registraram a enxurrada em vídeos. A Avenida Prudente de Morais, na região Centro-sul de BH, e ruas do bairro Sion estão alagados. No bairro Salgado Filho, a Avenida Tereza Cristina ficou submersa mais uma vez.

Nas redes sociais, usuários compartilharam vídeos em que mostram a força da água arrastando vários carros. Nas imagens, clientes de um restaurante filmaram os veículos flutuando a poucos metros de onde estavam.

Parte da estrutura do teto do BH Shopping, no bairro Belvedere, desabou. Clientes e lojistas estavam no local quando o gesso começou a cair. Um vídeo mostra o momento do desabamento.

Leia mais:  Governo de SP afasta mais 32 PMs envolvidos em operação em Paraisópolis

Leia também: Petistas admitem que abrem mão da Prefeitura por pré-candidatura de Haddad

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, um homem de 45 anos morreu soterrado por uma casa no bairro Cristais, na cidade de Nova Lima. Com isso, o número de mortos desde o início das fortes chuvas na região já chega a 53.

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana