conecte-se conosco

Nacional

Imprensa internacional repercute crise da água no Rio

Publicado

source
Cedae está com dificuldades em normalizar a situação da água no Rio de Janeiro arrow-options
Divulgação/Cedae

Cedae está com dificuldades em normalizar a situação da água no Rio de Janeiro


A crise no abastecimento da água no Rio de Janeiro — que já atinge 69 bairros da capital e outros seis municípios da Baixada Fluminense — foi destaque em veículos internacionais de imprensa. O jornal inglês ” The Guardian ” aponta que o problema no fornecimento ocorre a poucos dias da realização do Carnaval e durante um verão que já atingiu recordes de temperatura.

A publicação também ressaltou que apesar das declarações da Cedae , atestando que a água pode ser bebida, moradores do Rio reclamam que já adoeceram após o consumo.

Leia também: Cedae promete água limpa na próxima semana

“A companhia pública de água da cidade disse que o gosto estranho foi causado por um composto orgânico chamado geosmina, encontrado naturalmente no solo, e insistiu que a água é segura para beber. Mas os moradores se queixaram de adoecer depois de bebê-la e os ambientalistas culparam a crise nos rios poluídos, a falta de saneamento básico e décadas de má gestão”.

Leia mais:  Mulher é condenada a um ano e 10 meses de prisão por racismo em Minas Gerais

Não cumprida

A reportagem recorda ainda que a expensão da rede de saneamento básico no estado foi um promessa de legado olímpico que não saiu do papel.

“Em julho passado, promotores do Rio assinaram um acordo com o Cedae para finalizar as obras de saneamento olímpico que foram congeladas quando o estado declarou uma ’emergência financeira’ semanas antes do início dos jogos. Alguns projetos foram concluídos, mas grandes obras deverão levar mais quatro anos”, lembra a publicação.

Comentários Facebook
publicidade

Nacional

Policial de folga saca arma durante discussão e agride motoboy no DF

Publicado

source

IstoÉ

Policial sacou arma enquanto discutia com motoboy arrow-options
Reprodução

Policial sacou arma enquanto discutia com motoboy


Um vídeo que circula nas redes sociais mostra um policial militar agredindo um motoboy  após desentendimento. O incidente aconteceu no útlimo domingo (19), em frente ao prédio de um condomínio na região de Taguatinga, em Brasília. No vídeo, o entregador  se recusa a retirar sua moto da porta do edifício e é agredido.

Morador do prédio, o policial , que não estava a serviço no instante da discussão, exigiu que o entregador tirasse a moto, por conta do local ser uma área particular. Em dado momento mais acalorado do vídeo, o policial intima o motoqueiro para briga.

Após o entregador tentar filmar a ação com seu celular, o policial empurra o motoboy que estava sentado e tira a arma do bolso e manda, “Tira essa moto daqui”, disse o agente de segurança.

Leia também: Polícia paulista prende homem procurado por roubos a banco no Nordeste

Indignado com o tratamento, o entregador relata em um vídeo feito por ele que só estava ali para entregar uma encomenda, mas que estava sendo ofendido.

Leia mais:  'Terminarei meu mandato', diz Tabata Amaral sobre disputar eleições em 2020

” A portaria desse prédio está me tratando mal. O policial ali (aponta para o PM) chegou me batendo, arrastando um revólver e dizendo que era um bosta, que sou um lixo”, afirmou no vídeo divulgado pelo Correio Braziliense.

“Atitude suspeita”

A Policia Militar do Distrito Federal relatou em nota oficial que foi chamada pelo próprio policial e pelo síndico do prédio “devido à atitude agressiva e suspeita de um homem que, segundo eles, estava com um volume na cintura em frente ao prédio. Tratava-se de um entregador que já havia finalizado seu serviço e se recusava a ir embora e retirar sua motocicleta da entrada do edifício, local impróprio para estacionamento”.

A nota ainda explica que a polícia vai analisar o caso e que o entregador possui várias passagens pela polícia. O registro da ocorrência foi feito pelo próprio policial, na 12ª Delegacia de Polícia, em Taquaritinga. O motoboy também prestou depoimento na delegacia, além de testemunhas envolvidas no ocorrido.

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana