conecte-se conosco

Estado

Influenza: resultado parcial mostra Espírito Santo em segundo lugar na meta de vacinação

Publicado

 

.

Faltando duas semanas para finalizar a 22ª Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza, os resultados parciais apontam o Espírito Santo em segundo lugar no Brasil na meta total, com a imunização de 78,2% do público-alvo.

Dados do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI), desta quinta-feira (21), informam que 938.687 doses foram aplicadas no público-alvo no Estado, que tem como população a ser vacinada 1.438.975 pessoas, entre grupos com e sem meta. A Campanha encerra em todo território brasileiro no próximo dia 05 de junho.

No Espírito Santo, a meta de cobertura vacinal de 90% foi superada para os grupos prioritários convocados na 1ª fase desta Campanha, com 131,76% dos idosos vacinados e 98,19% dos trabalhadores da saúde imunizados.

Porém, a coordenadora do Programa Estadual de Imunizações e Vigilância das Doenças Imunopreveníveis, Danielle Grillo, ressalta que ainda há metas importantes a serem alcançadas, em especial aos grupos de crianças e gestantes. “As crianças e gestantes são grupos de risco para infecções pelo vírus influenza, pois são vulneráveis a complicações graves que podem levar à morte, por isso é importante uma boa adesão desse público à vacinação”, disse.

Dados no Espírito Santo

Dos grupos em que há meta de vacinação de 90% da cobertura vacinal, até a manhã desta quinta-feira (21), no Espírito Santo, o público idoso e dos trabalhadores da saúde superaram a meta preconizada pelo Ministério da Saúde, com 131,76% (488.542 vacinados) e 98,19% (97.754), respectivamente.

Nos demais grupos, a meta ainda precisa ser alcançada, como as crianças com 35,7% (99.904 vacinadas), gestantes 31,38% (12.613 vacinadas), puérperas 39,44% (2.597 vacinadas), indígenas 81,54% (3.777 vacinados) e adultos de 55 a 59 anos com 30,42% (49.649 vacinados).

Fonte: Governo ES

Comentários Facebook
publicidade

Estado

BOLETIM SALA DE SITUAÇÃO – 05/06/2020

Publicado


.

O governador do Estado, Renato Casagrande, liderou, nesta sexta-feira (05), mais uma reunião da Sala de Situação de Emergência em Saúde Pública, por meio de videoconferência. Foi apresentado o novo Mapa de Risco, que terá vigência entre a próxima segunda-feira (08) até o domingo (14). Com o aumento na taxa de ocupação de leitos de UTI destinados ao tratamento de casos do novo Coronavírus (Covid-19), 36 municípios fazem parte do grupo de Risco Alto e outros 42 em Risco Moderado. Não há municípios capixabas classificados como Risco Baixo. A portaria será publicada neste final de semana.

Fazem parte do grupo de municípios em Risco Alto: Afonso Claudio, Água Doce do Norte, Águia Branca, Alfredo Chaves, Alto Rio Novo, Anchieta, Apiacá, Baixo Guandu, Barra de São Francisco, Boa Esperança, Bom Jesus do Norte, Cariacica, Colatina, Ecoporanga, Fundão, Guarapari, Ibiraçu, Ibitirama, Itapemirim, Itarana, João Neiva, Mantenópolis, Marataízes, Marechal Floriano, Mucurici, Muniz Freire, Muqui, Piúma, Presidente Kennedy, Santa Teresa, São Domingos do Norte, São Roque do Canaã, Serra, Viana, Vila Velha e Vitoria.

Estão no grupo de Risco Moderado os municípios de Alegre, Aracruz, Atílio Vivacqua, Brejetuba, Cachoeiro de Itapemirim, Castelo, Conceição da Barra, Conceição do Castelo, Divino de São Lourenço, Domingos Martins, Dores do Rio Preto, Guaçuí, Ibatiba, Iconha, Irupi, Itaguaçu, Iúna, Jaguaré, Jerônimo Monteiro, Laranja da Terra, Linhares, Marilândia, Mimoso do Sul, Montanha, Nova Venécia, Pancas, Pedro Canário, Pinheiros, Ponto Belo, Rio Bananal, Rio Novo do Sul, Santa Leopoldina, Santa Maria de Jetibá, São Gabriel da Palha, São José do Calçado, São Mateus, Sooretama, Vargem Alta, Venda Nova do Imigrante, Vila Pavão e Vila Valério.

A Matriz de Risco, que está em sua terceira fase, leva em consideração como critérios de classificação o Coeficiente de Incidência de casos confirmados nos municípios, a taxa de ocupação dos leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), os índices de isolamento social e de letalidade da doença, além do percentual da população acima dos 60 anos – considerado como grupo de risco.

 

Fonte: Governo ES

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana