conecte-se conosco


Destaque

Inscrições abertas para novas oficinas de qualificação profissional

A prefeitura de Cachoeiro está com 40 vagas abertas para duas novas oficinas de qualificação profissional: DJ e grafite. Elas são oferecidas a pessoas inscritas no Cadastro Único de programas sociais do governo federal.  As inscrições podem ser feitas na sede da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semdes), localizada junto ao Pavilhão de Eventos da […]

Publicados

em

A prefeitura de Cachoeiro está com 40 vagas abertas para duas novas oficinas de qualificação profissional: DJ e grafite. Elas são oferecidas a pessoas inscritas no Cadastro Único de programas sociais do governo federal. 

As inscrições podem ser feitas na sede da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semdes), localizada junto ao Pavilhão de Eventos da Ilha da Luz, das 8h às 14h. Para frequentar as atividades, que serão realizadas de 12 a 15 de março, é necessário ter de 14 a 59 anos.

Aulas e materiais usados nas atividades serão gratuitos e, ao final, os participantes receberão certificados, que poderão ser apresentados em entrevistas e agregados ao currículo. 

Essas oportunidades estão sendo oferecidas pela prefeitura de Cachoeiro, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), dentro do programa Acessuas Trabalho. O objetivo é permitir o acesso a novas oportunidades de qualificação, orientação para o mercado e geração de renda.

“Essa é uma forma de ampliar o acesso das pessoas atendidas pela rede de assistência social a conhecimentos que são valorizados pelo mercado, permitindo que elas possam ver abertas novas portas para geração de renda e para a melhoria da qualidade de vida”, acredita a secretária municipal de Desenvolvimento Social, Márcia Bezerra.

Outras onze oficinas em andamento

Outras 11 oficinas estão acontecendo ao longo de fevereiro. Começaram dia 12 e incluem aulas de teatro, criação de cartazes com CorelDRAW, montagem de bijuterias, criação de site, moda, penteados, legislação de empresa, informática prática e crochê, que somaram 150 vagas, já preenchidas.

O estudante Leandro Rosa, 18, foi um dos inscritos. “Achei essa iniciativa legal, bem interessante. Optei pela oficina de abertura e legislação de empresa e por teatro, porque podíamos escolher dois e esses foram os que mais me chamaram a atenção, que tive mais afinidade com os temas”, conta.

Já Shirlei Alves Dias, 19, fez a oficina de penteados e tendências, pois acredita que é possível conseguir oportunidades na área. “Gostei. Tem penteado que rende um dinheiro – R$ 100, R$ 200, até R$ 250. Eu gosto desse tipo de serviço e pretendo fazer outra capacitação na área, dessa vez, de maquiagem”.

Cadastro Único

O Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (Cadastro Único) é um instrumento que identifica e caracteriza as famílias de baixa renda, permitindo que o governo conheça melhor a realidade socioeconômica dessa população. 

Podem se inscrever no Cadastro Único: famílias com renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa; famílias com renda mensal total de até três salários mínimos; ou famílias com renda maior que três salários mínimos, desde que o cadastramento esteja vinculado à inclusão em programas sociais nas três esferas de governo.

Membros de famílias que se enquadrem nesses critérios devem buscar atendimento no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) mais próximo de casa. 

Inscreva-se!
Oficinas de DJ e Grafite
Pré-requisitos: ter entre 14 a 59 anos e estar inscrito no Cadastro Único
Data: 12 a 15 de março
Informações: 3155-5372

Comentários Facebook
Propaganda

Destaque

Mercado financeiro prevê queda de 1,96% na economia este ano

Publicados

em

Com a pandemia de covid-19, o mercado financeiro tem piorado a estimativa para a queda da economia este ano. A previsão de recuo do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – passou de 1,18% para 1,96%. Essa foi a nona redução consecutiva.

A  previsão para o crescimento do PIB em 2021 subiu de 2,50% para 2,70%. As previsões de expansão do PIB em 2022 e 2023 permanecem em 2,50%.

Dólar

A cotação do dólar deve fechar o ano em R$ 4,60, contra R$ 4,50 na semana passada. Para 2021, a expectativa é que a moeda americana fique em R$ 4,47, contra R$ 4,40 da semana passada.

Inflação

As instituições financeiras consultadas pelo BC reduziram a previsão de inflação para 2020 pela quinta vez seguida. A projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) caiu de 2,72% para 2,52%.

Para 2021, a estimativa de inflação segue em 3,50%, assim como para 2022 e 2023.

A projeção para 2020 está praticamente no limite inferior da meta que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 4% em 2020, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo, ou seja, o limite inferior é 2,50% e o superior, 5,50%. Para 2021, a meta é 3,75% e para 2022, 3,50%, também com intervalo de 1,5 ponto percentual em cada ano.

Selic

Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, estabelecida atualmente em 3,75% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom).

Para o mercado financeiro, a expectativa é que a Selic tenha mais uma redução e encerre 2020 em 3,25% ao ano a mesma previsão da semana passada.

Para o fim de 2021, a expectativa é que a taxa básica chegue a 4,50% ao ano. A previsão anterior era de 4,75% ao ano. Para o fim de 2022 e 2023, as instituições mantiveram a previsão em 6% ao ano.

Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica. Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Comentários Facebook

Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana