conecte-se conosco

Mundo

Irã confirma ter disparado 2 mísseis em avião ucraniano

Publicado

source
 queda do avião arrow-options
Tasnim News Agency/Amin Ahouei

Corpos encontrados em queda do avião

O Irã confirmou nesta terça-feira (21) que disparou dois mísseis no avião ucraniano da Boeing que foi abatido neste mês perto de Teerã com 176 pessoas a bordo. O país persa também confirmou pela primeira vez que mais de um míssil foi lançado na aeronave da Ukraine International Airlines.

Leia também: Guarda de parque morre após ser agredido por pedir para grupo parar de fumar

No relatório elaborado pela Organização da Aviação Civil do Irã, os investigadores do país admitiram que dois mísseis Tor-M1 foram disparados contra o avião , confirmando a veracidade das imagens de uma câmera de segurança que flagrou a aeronave sendo atingida por dois foguetes, que foram disparados com um intervalo de 30 segundos. A gravação foi divulgada na semana passada pelo jornal The New York Times .

As autoridades do Irã também pediram ajuda aos Estados Unidos e a França para decodificar o conteúdo das caixas pretas do avião, mas os dois países “ainda não responderam positivamente” ao pedido de fornecer a tecnologia necessária para a tarefa.

O abatimento do voo 752 da Ukraine International Airlines aconteceu no dia 8 de janeiro, em meio à escala de tensão entre os Estados Unidos e Irã. Washington fez um bombardeio que matou o general Qassim Soleimani, militar mais poderoso do país persa. Teerã, por sua vez, respondeu com o disparo de mísseis em duas bases no Iraque que abrigam tropas norte-americanas.

Leia também: Jovem morre afogada em cachoeira após tirar selfie com amiga

Apesar de inicialmente ter negado, Teerã reconheceu que o abatimento do avião ucraniano foi ocasionado por um “erro humano” e o caso provocou diversos protestos no país asiático. Entre as 176 vítimas da tragédia, a maioria era do Irã e do Canadá.

Fonte: IG Mundo

Comentários Facebook
publicidade

Mundo

Assim como Brasil, Estados Unidos deve indicar máscara de tecido contra Covid-19

Publicado

source
máscara arrow-options
Reprodução/ mercado livre

As máscaras de tecido viraram alternativa na luta contra a Covid-19

Na manhã desta quinta-feira (02) o  Ministério da Saúde do Brasil indicou a fabricação de máscaras de tecido para a proteção contra a Covid-19 e parece que os Estados Unidos também irá indicar a seus cidadãos o uso dos EPIs caseiros.

De acordo com o Washington Post , a Casa Branca deve anunciar em breve o uso de máscaras de tecido ou qualquer proteção facial para os norte-americanos que precisem sair de casa em meio da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

A orientação será para que todas as pessoas utilizem o equipamento, seja infectada ou saudável. A iniciativa tem como objetivo diminuir a propagação do vírus no ambiente.

Em um briefing da força-tarefa dos EUA, o presidente Donald Trump escreveu que “uma recomendação está sendo lançada”, mas “não acha que seja obrigatório. Se as pessoas quiserem usá-las, elas podem”. O vice-presidente Pence, que chefia a força-tarefa, informou que as novas orientações serão divulgadas nos próximos dias.

A força-tarefa ainda avalia distribuir máscaras faciais reutilizáveis para os moradores das áreas mais atingidas pela pandemia. Para que o equipamento proteja corretamente é importante lavá-lo com água e sabão e passar com ferro quente antes de usar novamente.

Leia também: Brasil acertou! Suspensão de voos é medida eficaz contra a Covid-19

Apesar da medida, especialistas lembram que as máscaras não são eficazes se usadas sozinha e o distanciamento social ainda é a melhor maneira para evitar o contágio pelo novo coronavírus. 

Fonte: IG Mundo

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana