conecte-se conosco

Praça Vermelha

João Altoé lavará suas mãos ou enfrentará seu calvário nas eleições de Vargem Alta?

Publicado

O prefeito de Vargem Alta, João Altoé, que costuma interpretar Pôncio Pilatos nas encenações da Paixão de Cristo no Distrito de Jaciguá, lavará as mãos como fez nas operações em seu governo, quando de forma curiosa, não saiu em defesa de quem cumpre com dingnidade e honestidade o papel de servidor público em cargos de confiança em sua gestão e também de nenhum daqueles implicados pelo MPES, como relatado anteriormente por esse jornalista?

O que João Altoé, ops… Pilatos, vai fazer na disputa pela prefeitura? Será candidato e defenderá seu legado político, resgatado há quatro anos, quando foi eleito novamente para administrar Vargem Alta em uma aliança envolvendo muitos partidos e empresários, onde houve um vale tudo para ganhar as eleições e culminou nessa enxurrada de operações e afastamentos em sua gestão? Ou vai lavar suas mãos e deixar que se forme um novo grupo em torno de outro candidato e cometa um suicidio político assim como o antigo governador da Judéia?

Bom… Como jornalista e observador do mercado político, entendo que, pelos sinais, João não será candidato pois não consegue aglutinar partidos e lideranças em torno de um governo desgastado e cheio de problemas que não soube aproveitar as oportunidades. Então, seu grupo político, órfão, vai em busca de outro candidato. As opções são poucas: Waltair José Pizetta, o “Kaki”, do PDT, é o primeiro da lista que, nas últimas eleições, em 2016, teve eleito em sua legenda, na época o PRP, dois vereadores, e ainda teve participação no mandato de João Altoé, indicando o secretário municipal de Agricultura, naquele momento.

Outro personagem que João Altoé poderia buscar construir uma aliança para a disputa política é Luciano Quintino (PL), atual vereador-presidente da Câmara, já que o edil tem o apoio e o aval da direita conservadora através do ex-deputado Carlos Manato e sua esposa, a deputada federal, Soraya Manato. Sabendo que os atores Bolsonaristas terão que construir um palanque local para defender seus ideiais no município, também não há clima dentro de seu grupo que favoreça uma aliança com Luciano Quintino e os conservadores.

No momento é muita coisa que inviabiliza a sua construção para a disputa a reeleição. É mais prudente que ele pule dentro de um bonde onde tenha mais chances de vencer as eleições e que o defenda depois em caso de futuros processos e análises de contas na Câmara Municipal.

Comentários Facebook
publicidade

Praça Vermelha

Impeachment de oportunismo político

Publicado

Impeachment de oportunismo político

O oportunista e  deputado estadual Capitão Assumção (PSL) protocolou pedido de impeachment do governador Renato Casagrande. Na ação, Assunção alega que o governador cometeu crime de responsabilidade por não comparecer à Ales nos primeiros 30 dias da legislatura para apresentar relatório sobre sua administração e responder a indagações dos deputados, conforme mandam a lei e a Constituição Estadual. Sei não, mas isso parece coisa de quem quer aparecer…Será que vai conseguir?

Impeachment de oportunismo político – 2

O primeiro deve ser encaminhado ao presidente da Ales,, que deve despachar para uma análise preliminar da Procuradoria-geral da casa. Por sua vez, a Procuradoria realiza uma espécie de juízo de admissibilidade do pedido, sem análise do mérito, inicialmente, e devolve  ao presidente com o parecer. São os trâmites burocráticos.

Impeachment de oportunismo político – 3

Do outro lado do front, a Procuradoria-Geral do Estado do Espírito Santo esclarece que “o governador do Estado, Renato Casagrande, informou com antecedência que, por ocasião da prestação de contas, fará seu comparecimento anual à Assembleia Legislativa, como preconiza a legislação. (…) o pedido de impeachment do governador com base em suposto descumprimento à Constituição Estadual se mostra descabido, além de tecnicamente equivocado, porque não houve nenhuma recusa de comparecimento à Assembleia Legislativa, tampouco falta de prestação de contas”. É a defesa.

Impeachment de oportunismo político – 4

Especialistas na área questionam o pedido de impeachment. Para o advogado eleitoral Alexandre Zamprogno, o afastamento de qualquer autoridade tem que ser feito quando o ato  inviabilize a continuidade no cargo. “Esse não é o caso do governador. Ele teve outra agenda, inclusive referente ao exercício do cargo, e comunicou ao chefe do legislativo”. Mais defesa!

Fim do mistério

Confirmado. Neucimar Fraga (PSD) deixou clara a intenção de lançar a candidatura para a Prefeitura de Vila Velha. Fraga fez o anúncio em reunião da Executiva Municipal do partido, na manhã da última segunda-feira. O anúncio para a militância será feito no próximo dia 25 de março na Câmara Municipal de Vila Velha. Na ocasião, o partido deve divulgar uma das legendas que irá apoiar o pré-candidato durante a campanha. Neucimar é um dos nomes fortes candidatos a candidato a prefeito. Olho vivo!

Aleluia, posse no MDB!

A nova Executiva Estadual do MDB vai tomar posse,após muita polêmica e decisões judiciais, nesta terça-feira, às 10 horas, na sede do partido, no Centro de Vitória. Marcelino Fraga toma posse como presidente estadual da sigla e o deputado estadual José Esmeraldo, como vice. Até então, nenhuma novidade.

 

Reajuste x complemento?

Renato Casagrande anunciou um reajuste salarial de 12,84% para os professores da rede pública estadual de ensino, com pagamento retroativo a janeiro.  Este foi o percentual concedido pelo Ministério da Educação ao piso salarial dos professores da educação básica há dois meses.  Segundo o governador, serão beneficiados quase 11 mil profissionais e o investimento será de R$ 53 milhões por ano. O Sindicato dos Professores informou que se trata, na verdade, de uma complementação para aqueles que estavam com vencimentos abaixo do piso salarial e que uma grande parte de professores não terá esse direito. Por que será que nunca nenhuma classe profissional nunca está contente com um determinado percentual de reajuste?

Desistiu do PV e vai para o Podemos

O vereador Allan Ferreira (PRB) não vai mais se filiar ao PV de Cachoeiro de Itapemirim. Ele decidiu ir para o  Podemos. A mudança é por conta da provável filiação de Alexandre Bastos (PSB), que desistiu recentemente de ser pré-candidato a prefeito.Corre a boca pequena, é que o ex-secretário de Serviços Urbanos no governo de Carlos Casteglione, Romário Corrêa, não ficou nada contente com a anunciada ida de Allan para o partido. Os ex-secretário disputou as eleições majoritárias em 2016 e ficou em quarto lugar, com 3.086 votos. O Podemos atualmente tem o vereador Rodrigo Sandi, que está em conversa avançada com o PRB, que poderá ficar com quatro vereadores (Paulinho Careca – PRP , Silvinho Coelho – PRP e Alexon Cipriano – Prós). Pelas articulações estaduais, o Podemos pode ser presidido pela secretária de Governo, Márcia Bezerra, e compor a base do prefeito Victor Coelho (PSB), cuja candidatura só vai engordando nos últimos dias.

Novo grupo para disputar a Prefeitura de Cachoeiro-ES

A grande surpresa no mercado eleitoral é o aparecimento de uma frente política liderada pelo presidente da Câmara de Vereadores de Cachoeiro-ES, Alexon Cipriano (PRB), com vistas às eleições para prefeito. O movimento, em princípio, conta com os vereadores Alexon, Silvinho Coelho e Paulinho Careca (todos estarão na sigla do PRB). Segundo Cipriano, “existem conversas avançadas com o DEM e o PSDB”. A migração de vereadores de um partido para outro é corriqueira nesta época. Alexon foi questionado sobre o propósito do grupo. Respondeu que o objetivo  “é tirar Cachoeiro de Itapemirim da estagnação e construir uma ponte de diálogo com toda sociedade, objetivando o desenvolvimento e o progresso do Município”, enfatizando que o novo grupo quer dialogar com toda a sociedade.

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana