conecte-se conosco

Mulher

Jovem chamada de “vagabunda” é estuprada pelo ex ao recusar perder a virgindade

Publicado

source

Durante anos, Mayci Jones Neeley, da Califórnia, nos Estados Unidos, sofreu com um relacionamento abusivo. A jovem, hoje com 24, conheceu seu ex em uma festa de Ano Novo e eles começaram uma relacionamento a distância. No entanto, quando passaram a morar na mesma cidade, o rapaz ficou ciumento.

Leia também: Foi traída, perdoou e teve ajuda da ex do namorado para sair da relação abusiva

Mayci Jones Neeley arrow-options
Reprodução/Instagram/maycineeley

Mayci viveu uma relação abusiva e ainda foi estrupada pelo ex-namorado quando disse que não queria fazer sexo

Segundo informações do The Sun , Macy conta que o ex -namorado checava seu telefone com frequência, a acusava de traição e a pressionava a ter relações sexuais, que eram contra suas crenças. Com o passar do tempo, o abuso ficou ainda pior. Quando se aproximada de outro homem, ele a chamada de cadela, vagabunda ou prostituta.

“Ele começou a me pressionar a beber álcool, o que era contra a política da minha escola e da minha religião”, diz. “Depois de não dizer repetidas vezes, finalmente cedi para evitar ouvir gritos e ser abusava verbalmente. Foi quando nosso relacionamento deu uma guinada para o pior”, destaca.

Ela ressalta que, quando ele bebia, se tornava uma pessoa ruim. “Ele começava a gritar comigo do nada, me empurrava contra as paredes e me sufocava. Houve uma noite em que ele me empurrou para a porta da frente, abrindo meu calcanhar que sangrava profundamente”, detalha.

Leia também: Eu vivi uma relação abusiva: “Prefere ficar sem teu cabelo ou perder tua vida?”

“Depois que ele viu que me machucou, ele começou a dar socos em seu próprio rosto várias vezes para mostrar que estava ‘arrependido'”, aponta. “Outra noite, ele tentou cortar os pulsos na minha frente. Não porque ele era suicida. Não cortou fundo, mas apenas o suficiente para um pouco de sangue aparecer”, continua.

A jovem diz que ele fez isso para chamar sua atenção. Ela ainda conta que, a essa altura, eles já tinham feito de tudo na relação menos o sexo de fato. “Eu disse a ele que estava guardando minha virgindade para o casamento, porque era isso que eu queria. Ele sempre me pressionava a fazer sexo com ele e eu dizia não, o que o deixava louco”, diz.

Após dizer não, ela foi estuprada

Certo dia, ela tomou uma bebida, que ele mesmo havia adulterado. “Depois de beber um pouco, a última coisa que me lembro é ele em cima de mim e eu dizendo ‘não, eu não quero, não quero’ repetidamente”, conta. “Eu estava tão inconsciente que mal conseguia manter os olhos abertos. A maior parte da minha memória desta noite são apenas flashes”, continua.

“Na manhã seguinte, ele diz: ‘Não acredito que aconteceu ontem à noite’. Eu disse ‘o que aconteceu?’ Ele disse: ‘nós fizemos sexo’. E eu respondi: ‘Não, não fizemos’. Então ele ficou super bravo porque eu não me lembrava da nossa primeira vez”, destaca.

“A parte mais difícil foi me perdoar”

Mayci Jones Neeley arrow-options
Reprodução/Instagram/maycineeley

“Coloquei muita culpa em mim mesma pelo que aconteceu e, no geral, fiquei com muita raiva de mim mesma”

Hoje, ela está em outro relacionamento, que teve início em abril de 2016, e não vê o ex desde então. No entanto, o período não foi fácil. “A parte mais difícil foi me perdoar. Coloquei muita culpa em mim mesma pelo que aconteceu e, no geral, fiquei com muita raiva de mim mesma”, diz.

Leia também: Veja 5 coisas que parceiro algum pode exigir que você faça em um relacionamento

“Aceitar o que aconteceu comigo e perceber que eu era uma vítima me ajudaram a me recuperar melhor”, desabafa. “Meu atual parceiro sempre me apoiou durante minha jornada de cura. Ele é meu ombro para chorar”, finaliza. 

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
publicidade

Mulher

Polícia investiga youtuber que “devolveu” filho com autismo para adoção

Publicado


source

Uma semana após a youtuber Myka Satauffer e o marido, James, revelarem que enviaram o filho adotado, Huxley, de quatro anos, para uma nova família , a polícia entrou na história. Ao E! News , as autoridades do estado de Delaware, Estados Unidos, confirmaram que iniciaram uma investigação para ser como a criança está fisicamente e emocionalmente.

família
Reprodução/Instagram

Na foto, os pais aparecem com Huxley e os quatro filhos biológicos

Leia também:

Eles ainda disseram que várias pessoas entraram em contato para denunciar o caso e saber sobre o paradeiro da criança. As autoridades explicam que Huxley não está desaparecido, porém, a situação é, sim, preocupante. “Nossa principal preocupação é com o bem-estar dessa criança, assim como das outras crianças da casa”, diz Tracy Whited, representante policial da região.

“Nossa investigação está em andamento e vamos incluir contato com todos os filhos para garantir a segurança”, completa. Além de Huxley, a família tem mais quatro filhos biológicos.

Tracy afirmou que o novo processo de adoção está sendo acompanhado de perto. “Todos os casos de adoção são confidenciais e devem passar por um processo completo com requisitos e salvaguardas específicas. Nas adoções particulares, existem os mesmos requisitos legais. Estamos confiantes de que o processo apropriado está ocorrendo”. Segundo as autoridades, pelo caso envolver uma criança, outros detalhes são confidenciais.

mulher e criança
Reprodução/Instagram

Huxley é uma criança no espectro autista

De acordo com o BuzzFeed News , outras agências foram incluídas na investigação para entender quem exatamente facilitou a transferência de Huxley para uma nova família e se as agências estaduais ou de adoção foram consultadas durante o processo.

Susan SoonKeum Cox, vice-presidente da Holt International, organização sem fins lucrativos de adoção dos EUA, também comentou o caso: “Colocar nas redes sociais e falar que ‘nós achamos uma outra família’. O que isso significa? Isso passou por uma agência? A família que ele foi mandado foi analisada por alguém antes? Isso é muito incomum”.

Detalhes do caso

Após quatro anos do início do processo de adoção, Myka Stauffer publicou um vídeo em seu canal no YouTube revelando que ela e o marido optaram por encontrar outra família para Huxley. Como o garoto faz parte do espectro autista , necessita de cuidados especiais que a família não conseguiu atender.

“Não há nenhum pedação do Huxley que não amamos. Não houve um minuto com ele que não tentamos o nosso melhor e, após múltiplos esforços e avaliações, vários profissionais da saúde sentiram que ele precisava de um lugar diferente para suprir suas necessidades médicas”, falou no vídeo.

A atitude da família foi amplamente criticada nas redes sociais.

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana