conecte-se conosco


Nacional

Justiça concede habeas corpus e João de Deus volta para prisão domiciliar

Publicados

em

 

 

source
João de Deus

João de Deus – MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL

Após a última denúncia por prática de crime sexual, João Teixeira de Faria, mais conhecido como João de Deus vai voltar para a prisão domiciliar. O habeas corpus foi concedido pelo Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO) nesta terça, após pedido da defesa do médium.

No mês passado, o Ministério Público de Goiás (MPGO) levou a 15ª denúncia à Justiça, pela prática de crimes sexuais envolvendo outras oito mulheres. Apesar disso, o MPGO afirma que os fatos correspondentes à última denúncia estão relacionados a outras 44 vítimas que, em razão de os crimes estarem prescritos ou ter decaído o direito de representação, elas são consideradas como testemunhas no processo. Os crimes aconteceram na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia, no interior do estado de Goiás.

Já condenado a mais de 60 anos de prisão, João de Deus deve voltar a utilizar tornozeleira eletrônica. Em nota, divulgada nesta quarta-feira, os advogados informaram que a justiça admitiu os argumentos da defesa e “reforçou o seu entendimento com base na dignidade da pessoa humana, já que o médium possui diversas doenças crônicas, atestadas pela Junta Médica do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, e pelo fato de ter mais de 80 anos, além da ausência da ocorrência de novos crimes e a falta de contemporaneidade da prisão decretada com os fatos sob investigação”.

Comentários Facebook
Propaganda

Nacional

Dona de cão que morreu após voo diz que fará registro na delegacia contra Latam

Publicados

em


source
Cachorro de Gabriela, morto em ponte aérea
Reprodução

Cachorro de Gabriela, morto em ponte aérea

A estudante Gabriela Duque, de 24 anos, dona do cão que morreu no dia 14, após um voo de São Paulo com destino ao Rio , pretende levar o caso à polícia. Com o registro de ocorrência contra a companhia aérea Latam, ela pretende conseguir mais provas do que ocorreu, como o acesso a câmeras de segurança do aeroporto do Galeão, por exemplo, onde o pet desembarcou. Em nota divulgada nesta terça-feira numa rede social, a jovem já tinha anunciado a possibilidade de levar o caso à Justiça.

O cão Zyon tinha 2 meses e 4 dias. Segundo nota divulgada para a imprensa, o animal vinha de um canil , em São Paulo, com destino ao aeroporto do Galeão, no Rio. Gabriela contou, por meio de uma publicação em seu Instagram, que o embarque no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, aconteceu às 13h, e chegou ao Rio às 13h52. Mas somente às 15h30 o cachorro foi entregue à dona, já com dificuldades de respiração.

Após duas horas de espera, Gabriela contou que foi acompanhada por um dos funcionários da companhia em direção ao hospital veterinário. Lá, o cão, ainda com vida, foi diagnosticado com hipertermia, hiperglicemia e problemas de oxigenação. Segundo a nota, Zyon não resistiu e faleceu horas depois da internação. No atestado de óbito, a causa da morte foi determinada como parada respiratória.

Na terça-feira, a companhia aérea divulgou nota informando que seguiu todos os protocolos nacionais e internacionais para a locomoção do pet.

Leia a íntegra da nota:

“Nós da LATAM nos sensibilizamos muito com o que aconteceu e estamos em contato com a cliente Gabriela desde o desembarque do animal, prestando toda assistência necessária até o momento presente.

A empresa esclarece ainda que seguiu todos os procedimentos de aceitação e transporte do pet que atendem rigorosamente aos regulamentos de autoridades nacionais e internacionais.

Desde o embarque no Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP), o pet foi acompanhado de acordo com os mais rígidos protocolos de segurança, aguardando em ambiente refrigerado até a entrada na aeronave e permanecendo hidratado ao longo do trajeto.

Logo após o pouso, ainda dentro do kennel (caixa de transporte), a nossa equipe do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro (Galeão) identificou que o animal encontrava-se com sinais de mal-estar e, imediatamente, atuou para que ele fosse transportado a uma clínica veterinária em uma van dedicada e em tempo mais rápido do que o padrão para esta operação. Vale ressaltar que, da pista do aeroporto até o terminal de cargas, são 7,5 km e o trajeto deve ser percorrido em até 20 km/h.

Reforçamos que o pet não foi exposto ao sol ou passou calor e, que, nossa equipe esteve junto dele e de sua tutora durante todo o atendimento, e se manteve disponível via telefone inclusive após a internação do pet.

Esclarecemos que a LATAM obedece às mais restritas normas de segurança para transportes de pets, seguindo procedimentos baseados no Regulamento de Animais Vivos da IATA e tendo protocolos ainda mais rígidos que a portaria 93 do IBAMA, garantindo uma execução segura em todas as etapas do processo de transporte. Salientamos ainda que a operação ocorreu respeitando os intervalos de tempo seguros desde a entrega do pet à equipe da LATAM, inclusive após o desembarque.

A companhia reitera que a segurança é um valor inegociável, reforçando que se solidariza com a tristeza vivida pela cliente e que fará tudo que está ao seu alcance para oferecer a assistência necessária neste momento. A LATAM permanece em contato com a Gabriela, que sinaliza compreensão quanto ao posicionamento e procedimentos adotados pela companhia.”

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana