conecte-se conosco


Cidades

Linhares inicia imunização de pessoas com comorbidades, incluindo grávidas e puérperas, nesta terça-feira (4)

Publicados

em

As gestantes e puérperas com comorbidades descritas no quadro abaixo, que serão imunizadas na Casa Rosa, no bairro Shell. Foto: Secom/Felipe Tozatto.

Nesta terça-feira (4), Linhares vai iniciar a vacinação das pessoas com comorbidades que foi dividida em duas fases. Na primeira fase, serão contempladas pessoas entre 18 e 59 anos dos seguintes grupos: gestantes e puérperas com comorbidades descritas no quadro abaixo, que serão imunizadas na Casa Rosa, no bairro Shell.

Também serão vacinadas contra a Covid-19 pessoas com fibrose cística, Síndrome de Down, deficiência mental/intelectual, pacientes renais crônicos em diálise. A vacinação para esse grupo acontece no setor de hemodiálise, ao lado do Hemonúcleo de Linhares, no centro da cidade.

Já pessoas com obesidade mórbida, com Índice de Massa Corpórea (IMC) acima de 40; deficientes físicos cadastrados no programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC) nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município. Os critérios estabelecidos obedecem a Nota Técnica do Governo do Estado do ES.

A vacinação ocorrerá sempre das 8 às 17 horas.

Deste público prioritário, 917 doses da primeira dose da vacina serão destinadas para pessoas com comorbidades e 220 para gestantes e puérperas com comorbidades. No ato da vacinação é indispensável a apresentação de laudo médico que comprova a comorbidade.

“A imunização deve seguir critérios epidemiológicos. Precisávamos garantir, primeiro, a proteção dos idosos, grupo mais vulnerável e responsável por grande maioria do total de mortes por Covid-19 no Município. Agora, após a vacina para todos acima dos 60 anos, é urgente vacinar pessoas com comorbidades, que também têm risco agravado de óbito. Para se ter ideia, cerca de 90% das pessoas que morreram pela Covid-19 em Linhares tinham algum tipo de comorbidade”, destacou o secretário municipalde Saúde, Saulo Rodrigues Meirelles.

Esse grupo prioritário de pessoas com comorbidades se baseia em recomendações do Ministério da Saúde e segue rigorosamente o Plano Nacional de Imunização que é seguido à risca pelo Município. “A inclusão das grávidas e puérperas com comorbidades, é de extrema importância porque os estudos apontam que a Covid-19 apresenta fatores de riscos desfavoráveis para as grávidas e puérperas”, explicou a diretora de Vigilância Epidemiológica da Prefeitura de Linhares, Jackelene Ramos.

Veja a Nota Técnica na Íntegra:

Comentários Facebook
Propaganda

Cidades

Ibatiba sedia primeira reunião para implantação do Polo de Fruticultura do Caparaó

Publicados

em

Por

A Secretaria Municipal de Agricultura, Indústria e Comércio de Ibatiba sediou uma reunião para implantação e desenvolvimento do “Polo de Fruticultura para a Região do Caparaó”, na manhã desta terça-feira (11). O Polo é um projeto de extensão do Centro de Ciências Agrárias e Engenharias da Universidade Federal do Espírito Santo (CCAE-Ufes) que está na coordenação junto com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e é aprovado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). O objetivo é contribuir para a diversificação da produção agrícola, gerando novas fontes de renda e, consequentemente, melhoria socioeconômica da população envolvida.

A mesma reunião vai se repetir em todos os municípios do Caparaó Capixaba, começando por Ibatiba, sendo dirigida pelo coordenador do projeto, professor Moisés Zucoloto, e o pesquisador da Embrapa, Dimmy Barbosa. Também estavam presentes o prefeito de Ibatiba, Luciano Pingo, e o secretário municipal de Agricultura, Samuel Dias Damasceno, além de representantes de segmentos da área rural do município, Incaper e produtores rurais.

O professor Moisés Zucoloto explicou que essa reunião faz parte das quatro metas para implantação do polo que começa por um diagnóstico. “Fazemos contato com as lideranças do município e a Secretaria Municipal de Agricultura, como um passo inicial para a possível implantação de frutíferas posteriormente, contando com o apoio de todos que possamos alinhar as próximas metas”, afirmou.

Já o secretário de Agricultura, Samuel Dias, destacou o fato de Ibatiba ser o primeiro município a ter essa reunião e disse que Ibatiba acredita muito no projeto, porque pode mudar a vida dos produtores locais. “Vamos conhecer o projeto em sua essência hoje (terça, 11), para que possamos trabalhar em sua implantação, em nosso município”, disse. “É um projeto ousado, mas vamos precisar de apoio para cultivo e, principalmente, escoar a produção, com financiamento barato, para que não haja dificuldades na hora de vender”, completou.

Acompanhamento

O pesquisador Dimmy Barbosa recordou que, quando o projeto foi apresentado, estava como superintendente do Ministério da Agricultura no Estado e o apresentou à senadora Rose de Freitas que conseguiu a liberação do recurso no ano passado, sendo já liberada a primeira parcela para a Ufes. “E nesta primeira etapa, vamos nos reunir com todos os municípios, para apresentar o projeto, montar as equipes de trabalho, fazer um diagnóstico, porque, em cada município, encontramos micro climas diferentes, com altitudes de 100 a até mais de 1.000 metros, sendo preciso definir quais fruteiras serão plantadas, para então fazer um processo de seleção dos produtores que irão receber toda a capacitação, na Fazenda Experimental da Ufes, e o acompanhamento total, do plantio à comercialização, durante quatro anos, para que o produtor que está investindo numa coisa nova não fique no meio do caminho”, ressaltou.

O prefeito Luciano Pingo esteve presente também e destacou a importância do projeto da Ufes que está buscando a parceria dos municípios, com objetivo de transferir tecnologia, gerando renda e qualidade na produção para os agricultores familiares. “Todos os envolvidos estão de parabéns, principalmente, os professores Dirceu e Moisés, a senadora Rose e a Embrapa, na pessoa do Dimmy, que é da região e está aqui trabalhando pelo desenvolvimento da nossa agricultura”, destacou.

O projeto “Polo de Fruticultura para a Região do Caparaó” foi iniciado em 2017, baseado num projeto do também coordenador Dirceu Pratissoli que se uniu a Moisés Zucoloto para sua idealização e planejamento. São quatro as metas: um diagnóstico da aptidão agrícola da região do Caparaó para a fruticultura, o que foi iniciado agora; melhoria da infraestrutura para as capacitações dos envolvidos – também em 2021; instalação da Unidade de Referência Tecnológica (URT) de fruteiras nos municípios envolvidos em, 2022; e realização de minicursos e dias de campo para capacitação, também ano que vem.

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana