conecte-se conosco


Estado

Maturidade para empreender: Avós são os novos empreendedores

Publicados

em

A empreendedora Marta Amélia, 60 anos, faz parte de um grupo especial de empreendedores, aqueles que estão acima dos 54 anos - Foto: Divulgação

Já foi o tempo em que os avós estavam aposentados, com cabelos brancos e apenas aproveitando o tempo para mimar os netinhos. Hoje eles são empreendedores. Como é o caso da Marta Amélia Zandonadi Bissoli, aposentada, avó de três, e proprietária da Dona Martha Delícias, em Venda Nova do Imigrante, região serrana do estado.

Junto com Mariana, a filha caçula, Marta conseguiu colocar em prática o desejo de empreender com a produção de geleias, uma receita de tradição familiar, que ela aprendeu com a mãe.

“Sempre tive o sonho de empreender em cima dos produtos que minha mãe me ensinou. Quando resolvi me aposentar, vi a possibilidade de colocar meu sonho em prática. Foi então, que no ano de 2017 me permiti viver essa paixão pelos potes da felicidade”, conta a empreendedora.

Marta relembra que a mãe gostava muito de plantar e transformar as frutas, e que ela acompanhava tudo bem de perto. “Na roça, a gente aprendia desde pequena acompanhando a mãe, e sempre tinha alguma experiência que a gente ia adquirindo. Com a minha mãe e avó, eu aprendi a fazer doces”, recorda.

A tradição familiar que antes era consumida nos encontros com amigos, virou renda. Mas o processo não foi tão rápido. Não bastava apenas o produto, que nisso a Marta se garantia. Ela queria algo que passasse a essência dessa receita.

“Ficamos bastante tempo estudando. Não queríamos fazer qualquer coisa, queríamos algo com qualidade, com carinho, com muito amor a tudo que a minha mãe nos ensinou. Foram quase seis meses para desenvolver a logomarca. Trabalhamos pequenos detalhes que mostrassem a história da minha mãe nos nossos produtos”, destaca Marta Amélia.

Todo o investimento de tempo e dedicação ao negócio valeram a pena. Hoje, a Dona Martha Delícias também tem uma loja física, planos de expansão, e clientes criteriosos: os netinhos da vovó: um casal com idade de dois e um ano, e outro que já está no “forninho”. E o mais interessante, eles de certa forma, estão envolvidos no processo.

“Eles vêm à loja, e vivenciam o empreendedorismo. Isso já está sendo embutido na criação deles, e eles vão se lembrar dessa história, desse contato de produção, vão saber explicar sobre os nossos produtos e isso é muito legal. Quero passar para os meus netos esse mesmo legado que passei para os meus filhos”, revela Marta Amélia.

Idade não é documento

Marta Amélia, 60 anos

A empreendedora Marta Amélia, 60 anos, faz parte de um grupo especial de empreendedores, aqueles que estão acima dos 54 anos. No Espírito Santo, segundo a Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios Contínua (Pnad-C) referente ao primeiro trimestre de 2022, cerca de 143 mil empreendedores estão acima dessa faixa etária, isso representa aproximadamente 23% do total estimado de empreendedores.

Para Marta, a idade não é um empecilho, e ela ainda dá a dica para quem deseja empreender após aposentar. “A dica é se encaixar em algo que goste de fazer. É preciso estudar, fazer cursos, entender o que se quer, e seguir em frente. Não pode ter medo de arriscar, não podemos deixar morrer essa vontade que temos dentro da gente”, encoraja Marta Amélia.

Apoio do Sebrae/ES

Antes mesmo de abrir a Dona Martha Delícias, Marta Amélia já realizava diversos cursos no Sebrae/ES. Ela afirma que foi a partir deste apoio que aprendeu a: como abrir um negócio; como ampliar a empresa e alavancar resultados; como se colocar no mercado; não ter medo de se arriscar nos negócios, mantendo a responsabilidade; entre outros.

O último curso realizado pela empreendedora foi o Sebraetec, mas o que mais marcou a sua trajetória foi o Líder Coach.

“Durante o processo de criação da empresa fui fazendo muitos cursos pelo Sebrae para que pudesse me aperfeiçoar e o que mais me marcou foi o Líder Coach, onde pude me ver na realidade e melhorar os pontos necessários para meu crescimento. Ele foi o divisor de águas, foi o que me impulsionou muito a ter coragem, força, a sonhar e não ter medo, tudo isso com os pés no chão. Sou muito grata ao Sebrae/ES por todo o apoio recebido até hoje”, agradece a empreendedora.

Comentários Facebook

Estado

Recursos da Lei Paulo Gustavo para setor cultural capixaba serão discutidos em Vitória nesta terça (16)

Publicados

em

Por

Evento acontece nesta terça-feira (16), na Casa da Música Sônia Cabral, no Centro de Vitória, a partir das 18h30. Estão previstos cerca de R$ 40 milhões de repasse ao Estado e R$ 35 milhões para os 78 municípios.

A Lei Paulo Gustavo vai destinar R$ 75 milhões ao fomento do setor cultural capixaba. Para apresentar e debater os impactos, benefícios e oportunidades dos recursos no Estado, a equipe da Secretaria da Cultura (Secult) realiza um encontro aberto ao público, que acontece nesta terça-feira (16), às 18h30, na Casa da Música Sônia Cabral, localizada no Centro de Vitória.

Estão previstos cerca de R$ 40 milhões de repasse ao Estado e R$ 35 milhões para os 78 municípios. Esta divisão decorre de um mecanismo que calcula a população de cada local perante ao fundo de participação dos estados e municípios. Deste valor, aproximadamente 75% serão direcionados ao setor audiovisual e 25% para os demais segmentos da arte e cultura.

“Além da  presença dos empreendedores e fazedores de cultura em geral,  será importante que entidades de todo o Estado conheçam sobre a mobilização em torno da Lei”, afirmou o secretário de Estado da Cultura e presidente do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Estaduais de Cultura, Fabrício Noronha.

Lei Paulo Gustavo

Com o objetivo de auxiliar o setor cultural prejudicado pela pandemia da Covid-19, o  Projeto de Lei Paulo Gustavo (PLP 73/21) foi apresentado como recurso de ação emergencial no mês de novembro de 2021 no Senado e em julho deste ano foi promulgada como Lei Complementar 195/22. O nome da Lei homenageia o ator Paulo Gustavo, que faleceu em maio de 2021, devido à Covid-19.

O recurso total de R$ 3,86 bilhões é proveniente do superávit financeiro do FNC (Fundo Nacional de Cultura), e do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), recursos financeiros estes que não seriam utilizados no cronograma de pagamento dentro do exercício fiscal e que poderiam ser empregados como fonte de recurso adicional a ser operado diretamente pelos estados e municípios.

Serviço:

Encontrão Capixaba – Lei Paulo Gustavo e seu impacto no ES

Data: 16/08 (terça-feira)

Horário: 18h30

Local: Casa da Música Sônia Cabral, Centro de Vitória.

Aberto ao público.

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana