conecte-se conosco


Saúde

Ministério da Saúde assume que “existe risco” de vacina contra Covid-19 “não dar certo”

Publicados

em

 

 

Élcio Franco%2C secretário-executivo do Ministério da Saúde
Élcio Franco, secretário-executivo do Ministério da Saúde. Foto: Júlio Nascimento/PR

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, Élcio Franco, fez comentários sobre o contrato feito pela pasta com a Universidade de Oxford e o laboratório AstraZeneca para uma vacina contra a Covid-19 em entrevista coletiva nesta segunda-feira (29) e assumiu que “existe risco de ela não dar certo”. Segundo Franco, o acordo já foi fechado e o processo está em andamento com participação da Fiocruz.

“Existe risco de ela não dar certo, mas em todo o mundo há evidência de que está em estágio mais avançado e apresenta solução efetiva em curto prazo”, disse o secretário-executivo.

O anúncio da vacina foi feito pelo Ministério da Saúde no sábado (27), sendo que, no acordo firmado, o Brasil receberá tecnologia de formulação, de envase e de controle de qualidade para produzir suas próprias doses.

Apesar de haver esse risco, coisa que já reconhecida inclusive pela Fiocruz, a vacina de Oxford está em teste no País desde o último dia 23 e é apontada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como a mais avançada no mundo.

Ainda nesta segunda, o Ministério da Saúde negou que tenha priorizado  a compra cloroquina, medicamento que ainda não tem eficácia comprovada contra a Covid-19, em detrimento de adquirir os medicamentos necessários para entubação.

A diretora do Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos, Sandra de Castro Barros, explicou que o governo federal não deixou de comprar aquilo que é de responsabilidade dele e está previsto no orçamento. Além disso, ela disse que os medicamentos de uso hospitalar, como os para entubação, não são centralizados no Ministério da Saúde.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Propaganda

Saúde

Alimentação adequada ajuda a melhorar a qualidade do sono

Publicados

em

Por

Uma boa noite de sono contribui para o equilíbrio do sistema imunológico, endócrino, neurológico e até do apetite

A boa alimentação é primordial para o desenvolvimento saudável do corpo humano. Com ela é possível beneficiar o rendimento físico e mental e até mesmo melhorar a qualidade do sono. “Durante o sono, o nosso corpo trabalha para manter o equilíbrio do sistema imunológico, endócrino, neurológico e o apetite, por isso é tão importante para a saúde a ligação entre alimentação e sono”, alerta a nutricionista do Viver Bem da Unimed Vitória Aline Sarmento.

A nutricionista explica que existem algumas estratégias para promover o bom sono, e uma delas é incluir alimentos com propriedades para essa finalidade na dieta. Alguns deles são chá de camomila, chá de lavanda, alface, aveia, leite, castanhas, mel, kiwi, peixes, banana e abacate. Os vegetais verde-escuros são ricos em Magnésio, mineral que promove relaxamento mental e físico.

Por outro lado, existem alimentos que devem ser evitados por serem estimulantes do sistema nervoso e grandes responsáveis pelo estresse e a ansiedade, algumas das principais causas de insônia. A dica é evitar bebidas à base de cafeína, chocolate, pimentas e o açúcar refinado adicionado a alguns alimentos industrializados.

Corpo e mente

Além de prejudicar o sono, a má alimentação pode gerar problemas emocionais e orgânicos. Depressão, baixa autoestima, anorexia e a bulimia são alguns exemplos. Outra consequência é o excesso de peso, que provoca alterações no colesterol, queda de cabelo e carência de micronutrientes. Uma alimentação ruim leva o desequilíbrio do da saúde e tem reflexo na longevidade.

De acordo com a nutricionista, é aconselhável fazer exames de rotina para identificar deficiências nutricionais que possam estar prejudicando a saúde. “É necessário um check-up anual com seu médico, fazer exames de sangue, verificar possíveis deficiências nutricionais e corrigi-las. Busque também um nutricionista para adequar sua rotina alimentar saudável dentro da sua individualidade”.

“Comer frutas, verduras e legumes regularmente, evitar alimentos industrializados, fazer exercícios físicos diariamente, não fumar, ter uma boa noite de sono, e ter contato com a natureza, fazem parte de um conjunto de medidas para prevenir diversas doenças”, reforça.

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana