conecte-se conosco

Saúde

Ministério da Saúde assume que “existe risco” de vacina contra Covid-19 “não dar certo”

Publicado

 

 

Élcio Franco%2C secretário-executivo do Ministério da Saúde
Élcio Franco, secretário-executivo do Ministério da Saúde. Foto: Júlio Nascimento/PR

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, Élcio Franco, fez comentários sobre o contrato feito pela pasta com a Universidade de Oxford e o laboratório AstraZeneca para uma vacina contra a Covid-19 em entrevista coletiva nesta segunda-feira (29) e assumiu que “existe risco de ela não dar certo”. Segundo Franco, o acordo já foi fechado e o processo está em andamento com participação da Fiocruz.

“Existe risco de ela não dar certo, mas em todo o mundo há evidência de que está em estágio mais avançado e apresenta solução efetiva em curto prazo”, disse o secretário-executivo.

O anúncio da vacina foi feito pelo Ministério da Saúde no sábado (27), sendo que, no acordo firmado, o Brasil receberá tecnologia de formulação, de envase e de controle de qualidade para produzir suas próprias doses.

Apesar de haver esse risco, coisa que já reconhecida inclusive pela Fiocruz, a vacina de Oxford está em teste no País desde o último dia 23 e é apontada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como a mais avançada no mundo.

Ainda nesta segunda, o Ministério da Saúde negou que tenha priorizado  a compra cloroquina, medicamento que ainda não tem eficácia comprovada contra a Covid-19, em detrimento de adquirir os medicamentos necessários para entubação.

A diretora do Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos, Sandra de Castro Barros, explicou que o governo federal não deixou de comprar aquilo que é de responsabilidade dele e está previsto no orçamento. Além disso, ela disse que os medicamentos de uso hospitalar, como os para entubação, não são centralizados no Ministério da Saúde.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
publicidade

Nacional

Coronavírus no RJ: 214 mortes registradas em 24 horas no estado

Publicado

A Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro registra, até esta terça-feira (07/07), 10.881 mortes e 124.086 casos confirmados de coronavírus (Covid-19). Há ainda 1.025 óbitos em investigação e 301 foram descartados. Entre os casos confirmados, 101.554 pacientes se recuperaram da doença.

As 10.881 vítimas de Covid-19 foram registradas nos seguintes municípios:

Rio de Janeiro – 7.055

São Gonçalo – 487

Duque de Caxias – 462

Niterói – 232

Campos dos Goytacazes – 112

Macaé – 87

Rio das Ostras – 26

S. Francisco de Itabapoana – 16

São João da Barra – 7

Carapebus e Quissamã – 4

B. J. do Itabapoana, Italva e S. A. de Pádua – 3

Porciúncula – 2

Itaperuna e Natividade – 1

Os casos confirmados no estado estão distribuídos da seguinte maneira:

Rio de Janeiro – 61.658

Niterói – 6.809

São Gonçalo – 5.795

Duque de Caxias – 3.403

Macaé – 2.730

Campos dos Goytacazes – 2.052

Itaperuna – 961

Rio das Ostras – 813

Santo Antônio de Pádua – 449

São João da Barra – 330

S. Francisco de Itabapoana – 235

Quissamã – 227

Natividade – 208

B. J. do Itabapoana e Italva – 158

Miracema – 154

Carapebus e São Fidélis – 153

Cardoso Moreira – 150

Laje do Muriaé – 138

Itaocara – 134

Porciúncula – 120

São José de Ubá – 106

Varre-Sai – 76

Mais informações

Para mais informações, acesse o painel de monitoramento de casos no Estado do Rio de Janeiro em painel.saude.rj.gov.br.

Fonte: Núcleo de Imprensa Governo do Rio de Janeiro

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana