conecte-se conosco

Esporte

Morre José Luiz Carreiro, presidente do Ypiranga da Barra, 67 anos

Publicado

O presidente do tradicional clube de futebol Ypiranga da Barra, da cidade de Marataízes, José Luiz Carreiro, de 67 anos, morreu na manhã desta quarta-feira, vítima de um infarto. Ele estava na cidade de Guarapari, juntamente com o diretor da Ypiranga, Antônio Carlos Rosa, o Boca, que o socorreu após ele passar mal e levou para um hospital local, onde já chegou sem vida.

De acordo com Boca, Carreiro, como é mais conhecido o presidente do Tubarão da Barra, estava em Guarapari para resolver a liberação de um atleta do time América de Guarapari para o Ypiranga.

Ele informou que na data de ontem, o presidente estava muito chateado e também chegou a se sentir mal após um julgamento de recurso no Tribunal de Justiça desportiva (TJD) da Federação de Futebol, por não concordar com a decisão. O Ypiranga disputa a Copa Espírito Santo nas categorias sub 15 e 17.

José Luiz Carreiro presidia o clube de Marataízes desde o ano de 2011. Ele morre sem conseguir realizar seu maior sonho, que era vê o Estádio Joca Soares, sede do Ypiranga da Barra, reformado e ampliado, assim como recolocar o time de volta ao profissionalismo, para disputar a segunda e consequentemente a primeira divisão capixaba.

Leia mais:  Presidente do Vasco critica árbitro: "querem privilegiar Palmeiras"

Para Antônio Carlos Rosa, fiel escudeiro de Carreiro, sua morte deixa um vácuo muito grande no esporte de Marataízes mas também na região Sul Capixaba. “Apesar do Ypiranga estar fora do profissionalismo há alguns anos, trata-se de time tradicional e contava com um presidente dedicado e que amava as cores do nosso Ypiranga. Estou muito triste”, finalizou Boca.

Ainda não há informações sobre o velório e o enterro de José Luiz Carreiro.

Fonte: Da Hora

Comentários Facebook
publicidade

Esporte

Nos pênaltis, Alto Pongal, de Anchieta, fatura o Sulinão 2019

Publicado

Não foi fácil, mas a equipe do Alto Pongal não desistiu e acabou sendo agraciada com a conquista do Campeonato Sulino de 2019. O time de Anchieta saiu atrás do marcador, mas foi guerreiro e nos acréscimos da partida, aos 50 minutos do segundo tempo, buscou o empate e faturou o título na disputa de penalidades.

A grande decisão aconteceu neste sábado (09), no Estádio Jairzão, em Alto Pongal, no município de Anchieta. O Olímpico de Guaçuí saiu na frente da partida com um gol marcado por Peixe, aos 10 minutos do segundo tempo. Num cruzamento feito por Jhonatan, o atacante do Olímpico testou firme e o goleiro Erivelton do Alto Pongal acabou se enrolando com a bola e ela morreu no fundo da rede.

Atrás no placar, o Alto Pongal se atirou ao ataque. Criou algumas oportunidades, mas foi no finalzinho da partida, aos 50 minutos do segundo tempo, que chegou ao empate. Maycon fez o cruzamento e Ruan testou, sem chances para o goleiro Raoni da equipe de Guaçuí.

Leia mais:  Atleta capixaba da base do Flamengo terá alta no próximo sábado

O empate levou a disputa para os pênaltis. Mais um pouco de sofrimento para os jogadores e torcedores que lotam o Estádio Jairzão, em Anchieta.

Na série de cinco pênaltis, o Olímpico teve o título na mão. Xandy, do Alto Pongal havia perdido uma cobrança, numa bela defesa do goleiro Raoni. Na cobrança derradeira, Kika, teve a bola para o título do Olímpico, mas cobrou o pênalti para fora.

Na série alternadas, o Olimpico perdeu mais um pênalti, desta vez com Ian, que chutou e Erivelton defendeu. Coube a Roni, do Alto Pongal, a cobrança derradeira. Goleiro de um lado, bola do outro e Alto Pongal bicampeão sulino, 1992 e 2019.

O troféu “Gabriel Mathielo”, em homenagem ao diretor da Liga Desportiva de Cachoeiro de Itapemirim que faleceu este ano, ficou com o time da terra do Santo Padre José de Anchieta. O campeão ainda faturou a quantia de R$ 4 mil reais e o vice R$ 1 mil.

Da Hora ES

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana