conecte-se conosco


Polícia

Mulher que teve nariz arrancado pelo ex terá de fazer 15 cirurgias

Avendedora Talita Oliveira, 28 anos, vítima de mutilação e agressões por parte do marido, fez quinta cirurgia de reconstrução nasal. De acordo com o médico, a vítima terá de fazer cerca de 15 cirurgias, “no mínimo”. “Eu havia dito que não queria mais o relacionamento, ele foi embora, levou tudo, mas naquele dia (da agressão […]

Publicados

em

Avendedora Talita Oliveira, 28 anos, vítima de mutilação e agressões por parte do marido, fez quinta cirurgia de reconstrução nasal. De acordo com o médico, a vítima terá de fazer cerca de 15 cirurgias, “no mínimo”.

“Eu havia dito que não queria mais o relacionamento, ele foi embora, levou tudo, mas naquele dia (da agressão no rosto) teve jogo do Corinthians. Toda vez que tinha futebol, ele chegava em casa muito agressivo. Me batia, e no outro dia pedia desculpas, arrependido”, contou a jovem em entrevista ao UOL.

Talita contou que foi agredida em novembro de 2017 com mordidas na orelha e no nariz, pelo ex-namorado Ricardo Williams Cazuza, que não aceitava o fim do relacioamento: “Quando ele foi embora, peguei os pedaços no chão e os coloquei em um pote com gelo. Achei que poderia conservar, e conservaria, mas deveria ter embalado porque o contato direto com o gelo necrosou a pele.”

A reconstrução nasal é feita por médicos do SUS. Ela conta que na última cirurgia o médico abriu um pouco suas narinas, para que o ar passasse sem dificuldade. “Eu tenho dificuldade de respirar, me sinto tão cansada.”

O agressor foi preso em Pirapora e julgado em primeira instância. O caso foi registrado inicialmente como lesão corporal grave; mas na delegacia de mulheres, a acusação passou a ser de “tentativa de feminicídio”, o que agravou a situação do réu. O ex-marido irá a júri popular, a data ainda não foi marcada.

Fonte: G 1


Comentários Facebook
Propaganda

Polícia

Batalhão de Missões Especiais inicia o I COESP 2022

Publicados

em

A Polícia Militar do Espírito Santo, através do Batalhão de Missões Especiais (BME), deu início, nesta quarta-feira (29), ao I Curso de Operações Especiais (I COESP). A aula inaugural ocorreu às 16h, na Academia de Polícia Militar (APM), em Cariacica.

Após passarem por rigorosos testes de aptidão física e de habilidades especiais, iniciaram o curso 29 inscritos, sendo 21 da PMES e oito de corporações coirmãs (um 3º Sgt da PMAM; um 3º Sgt da PMMS; um PCES; um PCPA; um PRF; e três PPES-Sejus).

O curso tem previsão de término para o dia 16 de setembro de 2022. Serão 812 horas/aula, perfazendo um total de 81 dias.

O objetivo do COESP é capacitar o aluno a desempenhar atividades de Operações Policiais Especiais, especializando-o para o atendimento de ocorrências de alto risco e cumprimento de missões de grande complexidade e valor estratégico para o Comando da Corporação. Além disso, os formados poderão atuar como multiplicadores na Polícia Militar do Espírito Santo, por intermédio da docência, sobre os assuntos de Operações Especiais.

O corpo de instrutores do curso conta com diversos especialistas em várias áreas e que atuam com excelência na PMES e em outras instituições, como o CBMES, a PRF, a PF, a SEJUS e o EB.

Para o comandante-geral da PMES, coronel Douglas Caus, a Polícia Militar, através do governador Renato Casagrande, venceu o primeiro grande desafio que foi retornar com o Batalhão de Missões Especiais. “E não foi um retorno qualquer. Recebemos investimentos importantes que reestruturaram as instalações físicas da Unidade, bem como possibilitaram a construção de uma nova quadra poliesportiva. Temos também um processo de compra de armamentos em andamento e um projeto para criar um stand de tiro indoor”, enumerou.

Com todas essas conquistas, o coronel Caus ainda ressaltou a qualificação dos policiais militares através dos cursos oferecidos pelo Batalhão, tais como o de Controle de Distúrbios Civis (CDC), de Negociador e o de Atirador de Elite. “Agora com o COESP, teremos a formação de policiais especiais, uma vez que passarão por situações extremas que não são superadas por indivíduos comuns. Aqueles que conseguirem chegar até o final serão os futuros caveiras da Polícia Militar do Espírito Santo”, afirmou.

Antes do encerramento da aula inaugural, os presentes participaram de uma palestra com o lendário ex-comandante do Batalhão de Missões Especiais, o coronel reformado Juarez Monteiro da Silva. Na oportunidade, ele foi homenageado pela sua trajetória no BME, e por deixar um importante legado para os atuais comandantes da Unidade e para a sua tropa.

Informações à Imprensa:

Assessoria de Comunicação da PMES:
Tenente-coronel GASTÃO DOS SANTOS ALVES JÚNIOR
Tels. (27) 3636-8717 / 3636-8718
E-mail: [email protected]

Subseção de Jornalismo PMES:
Tel. (27) 3636-8715
E-mail: [email protected]

Fonte: PM ES

Comentários Facebook

Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana