conecte-se conosco

Mundo

Mulher se disfarçava de menino para abusar sexualmente de crianças

Publicado

source
disfarce arrow-options
Foto: Divulgação/BBC

Watts, de 21 anos, moradora de Enfield, confessou no tribunal crimes sexuais

Uma mulher que se disfarçava de um garoto adolescente para abusar sexualmente de meninas depois de conhecê-las na internet foi condenada a oito anos de prisão. Gemma Watts se passava por “Jake Waton”, de 16 anos, nas redes sociais e trocava fotos íntimas com as vítimas antes de encontrá-las em diversos locais da Inglaterra.

Watts, de 21 anos, moradora de Enfield, confessou no tribunal crimes sexuais envolvendo quatro meninas. De acordo com a polícia, ela pode ter violentado até 50 vítimas.

A Scotland Yard disse que Watts usava sua própria foto nas contas do Snapchat e Instagram como “Jake” e tinha como alvo meninas de 13 a 16 anos dando “likes” em seus perfis.  Ela até usava gírias adolescentes, enviou mensagens cheias de elogios e compartilhava fotos íntimas antes de viajar para encontrá-las pessoalmente.

Seu disfarce incluía amarrar os cabelos com um coque e usar um boné, calças esportivas e um capuz. A polícia disse que todas as suas vítimas acreditavam estar em um relacionamento com um adolescente até que os policiais revelarem que Watts era, na verdade, uma mulher adulta.

Ela era tão convincente que até chegou a passar um tempo como “Jake” com alguns dos pais das meninas. O tribunal ouviu duas das vítimas que desde então tentaram suicídio diversas vezes por causa das experiências traumáticas.

Já uma garota de 14 anos disse que seu “coração explodiu” quando soube a verdade sobre Watts pela polícia. Os abusos que Watts admitiu referem-se a uma menina de 13 anos de Plymouth, duas de 14 anos de Surrey e Hampshire e uma de 16 anos de West Midlands.

O promotor Barnaby Shaw disse que Watts apalpou várias vezes uma das vítimas durante pernoites regulares durante um período de três meses. Em uma ocasião, ele disse que a garota acreditava estar tocando os órgãos genitais de Watts, mas foi enganada pelo “que deve ter sido algumas meias firmemente enroladas juntas”.

A juíza Susan Evans disse que Watts enganou as meninas para sua própria satisfação. “A juventude delas, como você sabia claramente, as tornou mais ingênuas e menos propensas a perceber seu engano”, disse ela a Watts. Em novembro de 2019, a ré confessou uma acusação de agressão sexual, três acusações de encontrar uma criança com intenções sexuais e três acusações de abuso sexual.

O investigador Nicholas Plummer, da Polícia de Hampshire, disse que o caso é “verdadeiramente chocante”.

Com informações da BBC Brasil

Fonte: IG Mundo

Comentários Facebook
publicidade

Mundo

Trump pede pena de morte para autor de atentado em Boston

Publicado


source
Trump
Reprodução/Twitter

Trump criticou anulação de sentença de Djokhar Tsarnaev

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu que o autor do atentado da maratona de Boston , Djokhar Tsarnaev, fosse condenado à morte. A solicitação foi feita no último domingo (2), quando o presidente criticou a anulação da sentença após apelações.

Através de seu Twitter, Trump que a pena de morte seria “merecida” para o autor do ataque. “Tantas vidas se perderam ou foram arruinadas: a pena capital raramente foi tão merecida”.

Na última sexta-feira (31), uma corte de apelações anulou parte da sentença contra Tsarnaev alegando irregularidades no processo de escolha do júri. O caso foi remetido a um tribunal da primeira instância e será analisado.

O atentado

Em 2013, Tsarnaev e seu irmão mais velho, Tamerlan, colocaram duas bombas artesanais na linha de chegada da maratona de Boston. As explosões causaram três mortes e feriram 264 pessoas.

O irmão mais velho foi morto três dias após o ataque. Já Tsarnaev foi condenado à morte em junho de 2015. A defesa diz que o cliente, que hoje tem 27 anos, agiu sob influência do irmão mais velho.

Fonte: IG Mundo

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana