conecte-se conosco

Grande Vitória

Municiência: projeto de produtividade fiscal de Vitória reconhecido pela CNM

Publicado


.

O projeto de Vitória “Multar não dará mais ganho a fiscais, cooperar, sim!” foi um dos dez trabalhos reconhecidos pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) como exemplo de boas práticas inovadoras no País durante o Prêmio Municiência – Municípios Inovadores.

Ele foi selecionado entre mais de 300 projetos no Brasil. A cerimonia virtual aconteceu na manhã desta sexta-feira (31). “Para a CNM, os dez finalistas são reconhecidos por suas iniciativas que, de verdade, impactaram na gestão municipal. Em breve, as cidades vão receber um guia de reaplicação dos projetos para inspirar outras cidades”, afirmou a coordenadora da seleção do CNM, Denise Messias.

Para a chefe adjunta da Delegação da União Europeia no Brasil, Ana Beatriz Martin, todos os dez finalistas estão de parabéns pelos projetos. “Espero que boas práticas inspirem outros municípios na construção de cidades melhores, mais sustentáveis”, afirmou.

O secretário de Gestão, Planejamento e Comunicação, Alberto Salume, representou o município na solenidade. “Nosso projeto é inovador e mudou a lógica da fiscalização, saindo de um viés punitivo, para abordagem educativa e colaborativa, gerando confiança na sociedade. Agradeço à CNM o importante reconhecimento”, ressaltou.

Projeto

O “Multar não dará mais ganho a fiscais. Cooperar, sim!” é um projeto inovador. Em 2019, ele mudou a forma de remuneração dos fiscais de Vitória, que deixaram de receber produtividade sobre as multas para ter bonificações sobre a regularização de empresas e pessoas físicas.

“Nós criamos um sistema que faz a pontuação dos fiscais, eliminando papéis e tornando o processo transparente”, explicou o secretário de Desenvolvimento da Cidade e responsável pela Subsecretaria de Tecnologia da Informação (Sub-TI), Márcio Passos.

Comentários Facebook
publicidade

Grande Vitória

Calendário Escolar 2020 do Ensino Fundamental e da Educação Infantil são retomados em agosto

Publicado


.

A partir deste sábado (1º), o Calendário Escolar do Ensino Fundamental e da Educação Infantil será retomado através de várias ferramentas que os estudantes terão acesso em suas casas. Com isso, por meio de atividades pedagógicas não presenciais, haverá 2.173 turmas virtuais em atividade.

Essa determinação foi publicada no Diário Oficial do dia 9 de julho de 2020 e dá continuidade às atividades iniciadas em 14 de abril.

Entre as atividades oferecidas para o aprendizado está a Plataforma #DeverEmCasa. O projeto, que já atende os estudantes desde que as aulas foram suspensas, devido à pandemia provocada pela Covid-19, mantendo um vínculo das crianças com as escolas, passa a ser contabilizado como horas de aula.

A plataforma #DeverEmCasa está disponível do site da Prefeitura e, a partir de agora, todas as atividades terão chaves de correção e as famílias dos estudantes terão canais de comunicação para esclarecer dúvidas.

“Teremos canais de interação com os estudantes e seus responsáveis, com números de telefones e números de WhatsApp para que sejam retiradas dúvidas sobre as atividades e todas as perguntas sejam respondidas. Os responsáveis poderão telefonar ou enviar mensagens para esses números”, explicou o secretário municipal de Educação, José Roberto Martins Aguiar.

A Secretaria Municipal de Educação (Seme) informa que, nos últimos dias, representantes das escolas já entraram em contato com as famílias dos alunos para informar os números de telefone e para contato por WhatsApp.

Sobre os alunos que não têm acesso à internet, a Seme explica que as direções das escolas onde os estudantes estão matriculados também já entraram em contato com as famílias para marcar dia e horário para que as atividades e as chaves de correção sejam entregues, sem que haja aglomeração.

Os pais das crianças que não têm acesso à internet também estão recebendo os números de telefones e números de WhatsApp para que sejam retiradas dúvidas sobre as atividades e todas as perguntas sejam respondidas.

Segunda fase

Com a chegada à segunda fase, os alunos e professores passam a ter acesso às contas de e-mails institucionais da Plataforma Google Sala de Aula. O projeto vai permitir que os alunos do Ensino Fundamental tenham acesso em seus dispositivos móveis com acesso à internet em suas casas.

Já os pais dos estudantes da Educação Infantil poderão trabalhar com as crianças em suas residências. O projeto Google Sala de Aula também incluirá os alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

“Essa nova fase vem para que possamos ampliar os movimentos de interação e mediação da aprendizagem de nossas crianças e jovens. Todas as salas de aula físicas estão sendo convertidas em salas de aulas virtuais”, explicou o secretário.

Lembrando que os estudantes que não têm acesso à internet terão acesso às atividades impressas. 

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana