conecte-se conosco


Destaque

“Não há contaminação na água” diz Secretaria de Saúde após surto em Vila Velha ES

Após o surto de diarreia registrado em uma creche localizada na Praia da Costa, em Vila Velha, o Laboratório Central de Saúde Pública do Espírito Santo (Lacen) continua analisando as amostras de água e alimentos coletadas no local.  Na creche, os resultados preliminares da análise apontam para a ausência de agentes causadores do botulismo e do rotavírus, eliminando, […]

Publicados

em

Após o surto de diarreia registrado em uma creche localizada na Praia da Costa, em Vila Velha, o Laboratório Central de Saúde Pública do Espírito Santo (Lacen) continua analisando as amostras de água e alimentos coletadas no local. 

Na creche, os resultados preliminares da análise apontam para a ausência de agentes causadores do botulismo e do rotavírus, eliminando, até o momento, a hipótese de contaminação da água canalizada pela Cesan.

Questionado se é avaliado algum tipo de recomendação para que as pessoas não tomem a água canalizada, ainda que filtrada, até o relatório completo das análises, o coordenador geral do Lacen, Rodrigo Rodrigues, disse que não há nenhum indício que sugira qualquer tipo de contaminação na água da Cesan.

“Temos um grande quebra-cabeça a ser montado para identificar o agente causador desse surto de diarreia, mas, com os resultados preliminares que recebemos, não há nenhum indício de contaminação da água da Cesan coletada na creche”, afirmou.

Uma segunda fonte de água, de um chafariz em um ambiente mais afastado dentro da creche, foi identificada nesta quinta-feira (28) pela Vigilância Sanitária. Também foram coletadas amostras desta água que vão ser analisadas em laboratório.

Alimentos em análise

Um quiosque, de onde foram coletadas amostras de quatro alimentos – batata frita, peroá congelado, peroá refrigerado e camarão – também está sendo investigado. 

Na creche, foram coletadas amostras de peito de frango e carne bovina congeladas, além das amostras de água. Até o momento, não há uma interdição dos locais onde as crianças estiveram no dia anterior aos primeiros sintomas. A Prefeitura de Vila Velha recomendou a suspensão das aulas da creche desde terça-feira (29), que foi acatada pela proprietária da unidade de ensino. 

A Secretaria Estadual de Saúde irá conversar com o município e não descarta a interdição do local. A ordem, que deve ser direcionada apenas à creche, deverá vir do município, que tem a prerrogativa para decisões desta natureza.

Casos em outros municípios

Casos em outros municípios

Segundo o gerente estadual de vigilância em saúde, Romildo Andrade, os profissionais de saúde do estado vão receber uma nota técnica para identificar possíveis casos de diarreia que tenham “vínculo epidemológico” com o caso de surto na creche de Vila Velha. Nas redes sociais, pessoas apontam ter sofrido com sintomas parecidos em outros municípios.

“A investigação neste momento se dá em entender se houve algum tipo de contato dessas pessoas que estão dando entrada com casos de gastroenterite (diarreia) com os casos anteriores. É importante destacar que não se trata de um quadro de epidemia, mas um caso focal, que tem como foco de contaminação a creche onde as pessoas tiveram contato”, afirma.

Fonte: Folha Vitória

Comentários Facebook
Propaganda

Destaque

Mercado financeiro prevê queda de 1,96% na economia este ano

Publicados

em

Com a pandemia de covid-19, o mercado financeiro tem piorado a estimativa para a queda da economia este ano. A previsão de recuo do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – passou de 1,18% para 1,96%. Essa foi a nona redução consecutiva.

A  previsão para o crescimento do PIB em 2021 subiu de 2,50% para 2,70%. As previsões de expansão do PIB em 2022 e 2023 permanecem em 2,50%.

Dólar

A cotação do dólar deve fechar o ano em R$ 4,60, contra R$ 4,50 na semana passada. Para 2021, a expectativa é que a moeda americana fique em R$ 4,47, contra R$ 4,40 da semana passada.

Inflação

As instituições financeiras consultadas pelo BC reduziram a previsão de inflação para 2020 pela quinta vez seguida. A projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) caiu de 2,72% para 2,52%.

Para 2021, a estimativa de inflação segue em 3,50%, assim como para 2022 e 2023.

A projeção para 2020 está praticamente no limite inferior da meta que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 4% em 2020, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo, ou seja, o limite inferior é 2,50% e o superior, 5,50%. Para 2021, a meta é 3,75% e para 2022, 3,50%, também com intervalo de 1,5 ponto percentual em cada ano.

Selic

Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, estabelecida atualmente em 3,75% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom).

Para o mercado financeiro, a expectativa é que a Selic tenha mais uma redução e encerre 2020 em 3,25% ao ano a mesma previsão da semana passada.

Para o fim de 2021, a expectativa é que a taxa básica chegue a 4,50% ao ano. A previsão anterior era de 4,75% ao ano. Para o fim de 2022 e 2023, as instituições mantiveram a previsão em 6% ao ano.

Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica. Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Comentários Facebook

Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana