conecte-se conosco

Entretenimento

Netflix divulga trailer de “Esquadrão 6”, filme estrelado por Ryan Reynolds

Publicado

source

Qual é a melhor parte de estar morto? Não é escapar do seu chefe, da sua ex, ou até mesmo apagar seus antecedentes criminais. A melhor parte de estar morto… é a liberdade. E o personagem de Ryan Reynolds em “Esquadrão 6” sabe bem disso.

Leia também: Ryan Reynolds vem ao Brasil em dezembro participar da CCXP

Ryan Reynolds arrow-options
Reprodução/Youtube

Ryan Reynolds em cena de “Esquadrão 6”


A liberdade para lutar pela injustiça e pela maldade que se escondem em nosso mundo sem que nada nem ninguém possa te deter ou dizer ‘não’. “Esquadrão 6”, novo filme de Ryan Reynolds para a Netflix,   apresenta um novo tipo de herói de ação. Seis indivíduos de várias partes do mundo, cada um é o melhor no que faz, foram escolhidos não só por suas habilidades, mas pelo desejo que eles têm de apagar seus passados para mudar o futuro.

Leia também: Estranho no ninho de Hollywood, Justice Smith muda de patamar ao lado de Pikachu

Leia mais:  Jane Fonda e os famosos que foram presos por boas causas

A equipe é reunida por um líder enigmático (Reynolds), cuja única missão na vida é garantir que, embora ele e seus agentes nunca sejam lembrados, as ações deles certamente serão. ” Esquadrão 6 ” estreia no próximo dia 13 de dezembro, na Netflix, e conta com nomes como Mélanie Laurent, Corey Hawkins, Adria Arjona, Manuel Garcia-Rulfo, Ben Hardy, Lior Raz, Payman Maadi e Dave Franco

Leia também: Revista divulga lista dos atores mais bem pagos de Hollywood em 2019


Vale lembrar que Ryan Reynolds virá ao Brasil em breve, participar da CCXP 2019, que acontecerá em São Paulo.

Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
publicidade

Entretenimento

Governo exclui do MEI profissões ligadas ao setor cultural

Publicado

source
Guedes arrow-options
Foto: Divulgação/Governo Federal

As ocupações foram listadas em resolução feita pelo Comitê Gestor do Simples Nacional, publicada no Diário Oficial da União. O órgão é vinculado ao Ministério da Economia

O aumento da informalidade no setor de cultura , apontado pelo Sistema de Informações e Indicadores Culturais (SIIC), divulgado na quinta-feira (5) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) , pode se tornar ainda maior a partir do ano que vem.

A razão é a Resolução nº 150, publicada no Diário Oficial da União (DOU) na sexta-feira (6) pelo Ministério da Economia , que exclui uma série de ocupações ligadas à cultura do sistema de Microempreendedor Individual (MEI) , a partir de 1º de janeiro.

Pela resolução elaborada pelo Comitê Gestor do Simples Nacional, foram excluídas 17 ocupações, dentre elas seis ligadas diretamente ao setor cultural: Cantor/Músico Independente; DJ/VJ; Humorista/Contador de Histórias; Instrutor de Arte e Cultura/ Instrutor de Música.

Outras três subclasses, voltadas ao desenvolvimento e licenciamento de programas de computador, também podem ter impacto no setor. A mesma resolução incluiu outras cinco categorias no MEI, como motorista de aplicativo, serralheiro e quintandeiro.

Leia mais:  Raul Gil fala sobre grave doença e alega não ter medo da morte

Ao aderir ao programa de Micrompreendedor Individual, o profissional que fatura até R$ 81 mil por tem a possibilidade de ter um CNPJ, emitir notas fiscais por um custo fixo de R$ 55,90 ao mês e de contribuir para o INSS.

Quem optar por transformar o registro de MEI em Micro Empresa (ME), passa a ter uma tributação fixa por cada nota emitida, com percentual definido por cada categoria, além de despesas mensais obrigatórias de contabilidade.

O tema repercutiu em redes sociais e grupos de whatsapp de artistas e produtores culturais. O temor é de muitos profissionais do mercado, que hoje atuam como MEI, voltem à informalidade. Segundo o estudo divulgado pelo IBGE, este percentual de trabalhadores aumentou de 38,3% em 2014 para 45,2% em 2018.

A análise leva em conta tanto trabalhadores com carteira assinada quanto trabalhadores que contribuem para a previdência social, mesmo que autônomos.

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), uma das fontes de dados usados pelo IBGE no estudo, o setor cultural ocupava, em 2018, mais de 5 milhões de pessoas, representando 5,7% do total de ocupados no país.

Leia mais:  Blogueira é acusada de racismo ao falar que estava suja por encostar em preto

O programa de Microempreendedor Individual completou 10 anos em 2019. Segundo dados divulgados pelo Sebrae, o MEI é a única fonte de renda de 1,7 milhão de famílias no Brasil e foi responsável por tirar mais de 2 milhões de empreendedores da informalidade.

Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana