conecte-se conosco


Entretenimento

‘Nos Tempos do Imperador’: Tonico arma plano se livrar de Dolores

Publicados

em


source
Nos Tempos do Imperador – Após dar surra, Tonico arma plano perverso para se livrar de Dolores e assusta Nélio: “Vou vender”
Thais Teles

Nos Tempos do Imperador – Após dar surra, Tonico arma plano perverso para se livrar de Dolores e assusta Nélio: “Vou vender”

Já não basta tudo o que aprontou, Tonico, vilão de Alexandre Nero, vai criar um plano para se livrar de Dolores (Daphne Bozaski) em Nos Tempos do Imperador . Depois de se enrabichar para cima de Zayla (Heslaine Vieira), atormentar Samuel (Michel Gomes) e Pilar (Gabriela Medvedovski), o deputado odiará o seu novo hóspede.

Eudoro (José Dumont) voltou da Bahia para se hospedar na casa do genro, Tonico odiará. Mas, passa a suportá-lo porque descobre que o sogro está com uma doença grave. Vai demorar até que Dolores descubra a verdade, porém quando fica sabendo que o pai está condenado a morte cai em aflição.

Debochando da dor da esposa, Tonico escutará ela chamá-lo de monstro sem coração. Bravo, o canalha vai descontar sua raiva dando uma surra nela. O tempo vai passar Tonico acredita que não precisa mais suportar Dolores. Por isso, chamará Nélio (João Pedro Zappa) para dar a notícia.

Leia mais em TV Foco.

Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
Propaganda

Entretenimento

Websérie – Mestras e mestres de Goiabeiras Velha: “acordai quem está dormindo”

Publicados

em

Por

Folia de Reis é o terceiro episódio da websérie “Griôs de Goiabeiras”. O lançamento será nesta quarta-feira (1º/12) através de transmissão ao vivo pelo www.imacultural.org.br – Foto: Divulgação

Comemorado em várias partes do mundo, o gesto dos três reis magos do Oriente de celebrar a chegada do menino Jesus inspira as tradições populares de Goiabeiras Velha, na capital dos capixabas. O berço da panela de barro também é o quintal da Folia de Reis, uma das manifestações culturais tradicionais da comunidade que mantém suas raízes fortes para preservar seu jeito de ser alegre, comunitário e solidário.

“Folia de Reis” é o tema do terceiro episódio da websérie “Griôs de Goiabeiras”. O lançamento será nesta quarta-feira (1º/12), às 19h, por meio de transmissão online ao vivo pelo site https://imacultural.org.br/ do Instituto Marlin Azul (IMA).

A série de documentários foi selecionada pelo Edital “Cultura Digital” (Apoio à Produção de Conteúdos Digitais no Estado do Espírito Santo), viabilizado pela Secretaria de Estado da Cultura (Secult-ES), com recursos da Lei Aldir Blanc, e o apoio da Secretaria Especial da Cultura e o Ministério do Turismo. A realização é do Instituto Marlin Azul em parceria com a Banda de Congo Panela de Barro de Goiabeiras.

A Folia vive!

Seis de janeiro é o dia dedicado aos santos reis (Gaspar, Belchior e Baltazar). De acordo com a tradição cristã, os reis ou sábios vieram do Oriente para conhecer o menino Jesus. Guiados por uma estrela, encontraram-no em uma manjedoura ao lado de Maria e José, em Belém, prestaram-lhe culto e o presentearam com tesouros como ouro, incenso e mirra.

Em Goiabeiras Velha, a comemoração começa na noite do dia 05/01, por volta das 21 horas, se estendendo pelo interior da noite até a madrugada do dia 06/01. Com seus cabelos vermelhos e sorriso leve, Tereza dos Santos da Conceição, de 82 anos, coordena os preparativos da festa há dez anos. A mestra conta que sua mãe Carolina, mais conhecida como Dona Menininha, preparava quitutes para aguardar a visita de reis. “Eu era criança quando mamãe falava: é dia de reis, vem me ajudar a fazer as coisas. Naquele tempo não tinha nada de avisar não. A visita (dos foliões e folionas) era surpresa”, conta.

Antigamente, as famílias se preparavam para receber os foliões e as folionas mas a visita poderia acontecer ou não naquela casa. Hoje, os moradores sabem se receberão a Folia de Reis, pois a organização da festa faz o convite com antecipação. Apesar das mudanças trazidas pelo tempo, grande parte dos rituais segue a tradição ancestral.

Os devotos continuam a percorrer a pé as ruas do bairro animados pelo toque do violão e dos tambores do congo. Ao chegar à porta da casa da anfitriã ou anfitrião, os foliões e folionas entoam o antigo canto “acordai quem está dormindo desse sono em que vós estais”. Um dos participantes entrega ao dono ou à dona da casa a bandeira dos reis decorada com fitas e figuras representativas dos presentes oferecidos pelos magos ao menino. O anfitrião ou anfitriã recebe a bandeira, passa as mãos pelo cabelo, num gesto de acolhimento das bênçãos, e circula pelo interior da residência para espalhar as boas vibrações.

Durante o encontro, os devotos celebram a reza cantada, uma das peculiaridades dos festejos em Goiabeiras Velha. Depois das orações entoadas em forma de canto e dança de louvação, a família anfitriã oferece uma mesa com doçuras como canjica, broa de milho, bolo de aipim e licor de jenipapo, ou jenipapina, para se confraternizar com os devotos. A visita dura em torno de 40 minutos em cada residência. Ao todo, seis casas recebem a Folia.

Resistência

A preservação dos saberes e/ou fazeres como a Folia de Reis, o Congo, o ofício das Paneleiras e as Cantadeiras de Roda revela o poder de mobilização, articulação e de revitalização cultural da comunidade de Goiabeiras Velha.

“É impressionante o vigor destas mulheres e destes homens! Um vigor que nasce desta vontade de não esquecer o que nós aprendemos com nossos ancestrais. Todas essas formas de estarmos no mundo – fazendo uma interlocução com o pensador indígena Ailton Krenak-, cantando reis, o congo, o boi estrela, cantando as cantigas de roda, ajudam a adiar o fim do mundo, porque está muito difícil. Essas expressões culturais dizem muito sobre o nosso estar no mundo. Queremos cantar e celebrar a vida!”, relata a bibliotecária e historiadora, Jamilda Bento, filha e neta de paneleiras,moradora do bairro, atual presidente da Banda de Congo Panela de Barro.

Tereza também abraça com respeito e orgulho o gesto de manter as tradições vivas. Para ela, a festa é motivo para promover o encontro, fortalecer os vínculos de amizade, espantar a tristeza e curar a saudade daqueles que estão longe ou partiram desta vida.  “Folia de Reis significa alegria pras pessoas. Hoje tem reis! É dia cinco, dia seis. Às vezes a gente está com cara de juriti (tristonho) e precisa se reanimar”, brinca uma das mais antigas foliãs de reis da comunidade.

“Griôs de Goiabeiras” é um projeto audiovisual comunitário cujo objetivo é contribuir para o fortalecimento da identidade cultural e das tradições centenárias e registrar a memória coletiva e os laços de vizinhança construídos de geração em geração a partir das relações de convivência, afeto e colaboração.

O primeiro episódio “É da Mão de Quem? Paneleiras” foi lançado no dia 17 de novembro. Na semana seguinte, no dia 24 de novembro, foi a vez da apresentação do “Congo”, segundo episódio. Nesta quarta-feira, primeiro de dezembro, será o lançamento do terceiro episódio “Folia de Reis”. O cronograma da websérie prevê a apresentação de mais dois episódios: “Cantadeiras de Roda” (08/12) e “Manguezal” (15/12), sempre com lançamento às quartas-feiras, às 19 horas. O público pode acompanhar os episódios por meio do site https://imacultural.org.br/.

LANÇAMENTO

Websérie “Griôs de Goiabeiras”

Data: 17 de novembro (quarta-feira), às 19h

Onde: transmissão ao vivo pelo site imacultural.org.br

 1º Episódio (17/11), 19h

Griôs de Goiabeiras – Paneleiras

Sinopse: Ao modelarem o barro, paneleiras tradicionais de quintal dão vazão às águas profundas da memória e do afeto e revelam, em cada gesto, o conhecimento da arte de fazer panelas em Goiabeiras.

2º Episódio (24/11), 19h

Griôs de Goiabeiras –  Congo

Sinopse:  Para louvar São Benedito e pelo prazer do encontro, Griôs de Goiabeiras recriam, em tempos de pandemia, a tradicional festa do Congo, celebrada pela comunidade em 25 de dezembro. Fala, Mestre! Fala, Mestra!

3º Episódio (1º/12), 19h

Griôs de Goiabeiras – Folia de Reis

Sinopse:  De casa em casa, dia 6 de janeiro, a visita da bandeira da Folia de Reis simboliza benção às famílias da comunidade de Goiabeiras Velha, em festa tradicional de devoção aos Três Reis Magos.

4º Episódio (08/12), 19h

Griôs de Goiabeiras – Cantadeiras de Roda

Sinopse: Guardiãs das cantigas de roda, toadas do congo e da folia de reis, as Cantadeiras mantêm as tradições, garantidas na memória oral, na força das palavras e nos mais vigorosos laços de amizade e afeto.

5º Episódio (15/12),19h

Griôs de Goiabeiras – Manguezal

Sinopse: Para os filhos de Goiabeiras Velha, o manguezal oferece o alimento para o corpo e para a alma.

Ficha Técnica

Direção, Roteiro e Produção: Beatriz Lindenberg e Jamilda Bento

Assistência de Produção: Vinícius Loreto

Direção de Fotografia: Gustavo Louzada e Gui Castor

Som Direto: Greco Nogueira

Coordenação de Montagem: Marcia Medeiros

Montagem: Marcia Medeiros e Vicente Oliveira

Assistência de Montagem: Nildo Neves

Arte dos créditos: Nelma Guimarães

Videografismo: Estúdio Rogério Costa

Assessoria de comunicação: Simony Leite Siqueira e Karine Nobre

Coordenação Administrativa: Patricia Cortes

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana