conecte-se conosco


Nacional

Pesquisa: número de concessão de refúgio no Brasil caiu 88% em 2021

Publicados

em

source
Mulheres que vem da Venezuela, encontram dificuldades para arrumarem emprego
Antonio Cruz/ Agência Brasil

Mulheres que vem da Venezuela, encontram dificuldades para arrumarem emprego

Relatório do Observatório das Migrações Internacionais (OBMigra) divulgado nesta segunda-feira mostra que o número de concessões de refugio no Brasil caiu 88%. Ele passou de 26 mil, em 2020, para 3 mil, em 2021.

De acordo com o documento, a queda se dá porque o número foi muito elevado em 2019 e 2020 quando 56 mil venezuelanos tiveram seus processos analisados em bloco. Neste período, a grave crise econômica na Venezuela acompanhou uma série de violações de direitos humanos e democráticos, que forçaram o deslocamento de pessoas para o Brasil.

Nesse ano, segundo o relatório, essa análise em conjunto não foi utilizada com tanta frequência ao longo de 2021, “uma vez que a quantidade de novas solicitações de reconhecimento da condição de refugiado por parte de pessoas venezuelanas foi menor que o registrado nos anos anteriores”.

Além disso, segundo o texto, parte significativa dessas novas solicitações estão em aberto pelo fato dos processos não terem as informações necessárias para se realizar o cruzamento das bases de dados do Governo Federal. Isso precisa ser feito “para aferição da ausência de causas de exclusão para concessão do refúgio”.

Dos três mil refugios concedidos em 2021, 77% são para venezuelanos e 11,8% são para cubanos. Além disso, metade era para crianças e adolescentes na faixa entre 5 e 14 anos de idade. Entre 2011 e 2021, 297.712 mil imigrantes solicitaram refúgio no país. Com isso, ao final do ano de 2021 existiam 60.011 pessoas refugiadas reconhecidas pelo Brasil. Somente em 2021, 29.107 mil imigrantes solicitaram refúgio no Brasil. Eles são de 117 países diferentes, mas 77% eram venezuelanos, 6,7% angolanos e 2,7% de haitianos.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Comentários Facebook
Propaganda

Nacional

Datafolha: Fernando Haddad tem rejeição de 35% em SP; França tem 20%

Publicados

em

 Levantamento aponta que 35% dos eleitores não votariam no ex-prefeito de São Paulo
Reprodução

Levantamento aponta que 35% dos eleitores não votariam no ex-prefeito de São Paulo

Pesquisa do Instituto Datafolha divulgado nesta quinta-feira aponta que o ex-prefeito de São Paulo  Fernando Haddad (PT) é o mais rejeitado entre os pré-candidatos ao governo de São Paulo. 

De acordo com o levantamento, 35% dos eleitores não votariam no ex-prefeito, que mantém a dianteira na disputa ao Palácio dos Bandeirantes.

Haddad é seguido pelo ex-governador Márcio França, do PSB, cuja rejeição é de 20%. O socialista, no entanto, deve sair de cena para concorrer ao Senado, de acordo com aliados. Se o cenário sem França se confirmar, Haddad sobe de 28% para 34% das intenções de voto.


O governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), e o ex-ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas (Republicanos) apresentam menor rejeição. Não votariam em nenhum dos dois 16% dos paulistas. No entanto, ambos são desconhecidos da maior parte do eleitorado.

O Datafolha ouviu 1.806 pessoas com mais de 16 anos de 28 a 30 de junho no estado, aferindo dados com uma margem de erro de dois pontos para mais ou menos. O levantamento, contratado pelo jornal Folha de S.Paulo, foi registrado com o número SP-20523/2022 no Tribunal Superior Eleitoral.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Nacional

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana