conecte-se conosco


Polícia

PM realiza prisões e apreensões em Vitória

Publicados

em

O último feriado foi de prisões e apreensões na área da 12ª Companhia Independente. Drogas foram apreendidas e objetos recuperados em Jardim Camburi e Jardim da Penha, Vitória.

Na noite de domingo (19), a guarnição da RP 4641 realizava patrulhamento quando avistou um indivíduo sem capacete a bordo de uma motocicleta pilotando de maneira perigosa. Foi realizado o acompanhamento, tendo o indivíduo fugido da abordagem sentido Serra. Ao retornar pelo local de fuga foi encontrada uma sacola com 29 buchas de maconha, dois papelotes de cocaína, 36 pinos de cocaína, 11 pedras de crack e 13 pinos de haxixe.

Na madrugada de sábado (18), durante patrulhamento a equipe da RP 4806 avistou alguns indivíduos em Jardim da Penha. Ao realizar a abordagem foi constatado que um homem estava com mandado de prisão em aberto.

Na tarde de sexta-feira (17), a guarnição da RP 4507 foi acionada para atender uma ocorrência de roubo a um estabelecimento comercial em Jardim da Penha. As vítimas informaram que os homens estavam a bordo de uma motocicleta preta e que um dos objetos estava sendo rastreado. De pronto a equipe jogou na rede de rádio as informações, sendo a motocicleta avistada próximo à Praça de Itararé pela equipe do 1º BPM. Durante a abordagem um dos indivíduos fugiu. Os produtos de roubo foram recuperados.

Já por volta das 19h, uma vítima de assalto foi ao DPM de Jardim da Penha e informou que seu celular havia sido roubado na última segunda (13), e que ao tentar localizar o celular pelo sistema de rastreamento, o sistema apontava que o celular estava na praça onde fica localizado o DPM. Foram realizadas buscas na região e um homem foi avistado com o celular com as características do roubado. O indivíduo foi abordado e informou ter comprado o celular pelo valor de R$ 200,00.

Todo material foi encaminhado à Delegacia.

Comentários Facebook
Propaganda

Polícia

Último envolvido em homicídio no bairro Jardim Limoeiro é preso na Serra

Publicados

em

Por

A Polícia Civil do Estado do Espírito Santo (PCES), por meio da Divisão Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Serra, prendeu, na noite da última quinta-feira (23), o último suspeito de ser autor do homicídio qualificado contra Vinícius Santos Neves, de 25 anos, ocorrido no dia 31 de janeiro de 2021, no bairro Jardim Limoeiro, na Serra.

A motivação do crime está relacionada aos conflitos entre a vítima e os suspeitos, além do envolvimento deles com o tráfico de drogas no bairro Jardim Limoeiro, região conhecida como “Copo Sujo”. Outros quatro envolvidos no crime já estão presos, não restando nenhum foragido da Justiça. Os detalhes das investigações e das prisões foram divulgados em entrevista coletiva, nesta terça-feira (28), na Chefatura de Polícia Civil, em Vitória.

O titular da Divisão Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa da Serra, delegado Rodrigo Sandi Mori, informou que, no dia do crime, cinco indivíduos cercaram Vinicius Santos Neves, que foi agredido com várias pauladas e pedradas. Nos primeiros instantes da agressão, foram desferidas 24 pauladas e uma pedrada na vítima. Após os suspeitos se afastarem do local, a vítima esboçou uma reação, tentando se levantar. Dois indivíduos, ao perceberem que a vítima ainda se encontrava com vida, voltaram para o local e desferiram mais 20 pauladas, ocasionando a morte da vítima.

“Vinicius Santos Neves tinha família, era casado, trabalhava como soldador em uma empresa, porém, o vício nas drogas fez com que ele passasse a morar nas ruas e traficar pedras de crack para financiar o consumo próprio. Quando a vítima usava drogas, ela costumava ficar bastante agressiva e passava a ameaçar e agredir outros moradores de rua”, explicou o delegado Rodrigo Sandi Mori.

Ainda segundo o responsável pela investigação, antes do homicídio, a vítima teria insultado a namorada de um dos autores do crime e discutido com mais cinco indivíduos. Momento em que todos se juntaram e decidiram matar Vinícius Santos Neves.

“A polícia não resolve tudo sozinha. Estamos diante de uma vulnerabilidade social que vem se intensificando nos últimos anos, cabendo à Polícia Civil identificar e retirar de circulação os indivíduos que cometem esse tipo de crime. É dever do poder público efetuar ações e benefícios para a população, promovendo a saúde e o bem-estar dessas pessoas em situação de rua, evitando assim que esse tipo de crime aconteça”, acrescentou o delegado.

Os cinco detidos respondem por homicídio qualificado por motivo torpe, meio cruel e impossibilidade de defesa da vítima, sendo encaminhados para a unidade prisional, ficando à disposição da Justiça.

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana