conecte-se conosco


Cidades

Prefeitura de Cachoeiro lança serviço Família Acolhedora

Publicados

em

O serviço será coordenado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semdes) - Foto: Patrícia Pim

A Prefeitura de Cachoeiro lançou, nesta sexta (29), o serviço Família Acolhedora, uma modalidade de acolhimento que visa oferecer proteção integral às crianças e aos adolescentes que precisam ser afastados temporariamente de sua família por medida de proteção.

O serviço será coordenado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semdes). A equipe da pasta passou por diversas capacitações para implantação da ação no município.

Na cerimônia lançamento, que foi realizada no Fórum de Cachoeiro e contou com a presença de representantes da Defensoria Pública e Promotoria de Justiça, foi explicado como funcionará o serviço e a forma de participar.

As pessoas cadastradas no serviço receberão, em suas casas, a criança ou o adolescente e assumirão diversas responsabilidades, como: cuidar da saúde, educação, vida em comunidade e convivência familiar da criança ou do adolescente.

“Hoje é um dia de muita alegria, pois estamos realizando um grande sonho. Sempre trabalhamos com políticas que promovam a dignidade para todos, especialmente para as crianças e adolescentes. Esse projeto, sem dúvidas, irá mudar a vida de muitas pessoas”, expressou a secretária municipal de Desenvolvimento Social, Márcia Bezerra.

“Toda criança e adolescente tem o direito de ser feliz. Na nossa gestão, trabalhamos por isso, buscando implantar novas políticas públicas. Esse serviço vai gerar resultados marcantes para todos os envolvidos”, salientou o prefeito Victor Coelho.

Como participar

Para se cadastrar, os interessados deverão ir à sede do Serviço de Família Acolhedora, localizada à rua 25 de Março, nº 181, Centro, das 8h às 17h, e acionar a equipe de referência.

Os inscritos passarão por um processo de seleção com entrevistas, encontros de capacitação e visitas domiciliares, realizado pela equipe da Semdes. O objetivo é avaliar se a família está apta a acolher a criança.

Mais informações: (28) 3511-3972, (28) 3155-5380 e (28) 3517-9636.

Quem pode se tornar uma Família Acolhedora?

poderão participar do Família Acolhedora pessoas maiores de idade que tenham, pelo menos, 16 anos a mais que a criança a ser acolhida, e que preencha os seguintes requisitos:

  • Residir no Município de Cachoeiro de Itapemirim, com tempo comprovado de, no mínimo, 2 anos;
  • Apresentar os documentos solicitados pela equipe técnica do serviço;
  • Ter boas condições de saúde física e mental;
  • Ter tempo disponível para a criança e/ou adolescente; capacidade de dar afeto e relação familiar harmoniosa;
  • Ter parecer psicossocial favorável emitido pela equipe técnica do Serviço;
  • Estarem todos os membros da família em comum acordo com o acolhimento;
  • Não estar inscrito no Cadastro Nacional de Adoção, apresentando declaração emitida pelo órgão competente;
  • Nenhum membro da família pode ter dependência de substâncias psicoativas.

Comentários Facebook

Cidades

Sebrae realiza a instalação de internet em duas comunidades de Alegre e Conceição do Castelo

Publicados

em

Por

Distritos em Conceição do Castelo e Alegre foram beneficiados pelo programa Wi-Fi Brasil

Moradores de duas comunidades rurais do Espírito Santo receberam no último mês a instalação de antenas de internet para facilitar a comunicação e o acesso à informação, através do programa Wi-Fi Brasil, desenvolvido em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

No distrito localizado em Conceição do Castelo, cerca de 500 produtores rurais e da agricultura familiar foram beneficiados com a instalação. Já em Feliz Lembrança, comunidade de Alegre, 60 famílias já estão com acesso à internet.

“Entendemos que é necessário, especialmente nos dias de hoje, que todas as pessoas tenham acesso à internet, pois é lá que a comunicação acontece. Disponibilizar o wi-fi para essas comunidades significa oferecer oportunidades de negociações, e ampliar as possibilidades de mercado e renda para as famílias”, finaliza o gerente regional do Sebrae/ES, Ivair Segheto.

O empreendedor Fábio de Souza, dono da agroindústria Frumel, está entre os beneficiados pelo programa em Alegre. Ele conta que antes da instalação, os moradores compartilhavam a rede móvel e poucas casas tinham ponto de internet.

“Antes os vizinhos se ajudavam, um ia para a casa do outro para usar a internet. Agora com o ponto de acesso na praça, as pessoas vão até o centro comunitário para fazer suas pesquisas. Esse projeto do Sebrae é importante porque deixa a comunidade conectada 24 horas e fortalece inclusive a permanência do jovem na região, incentiva que eles criem algo, façam seus estudos e cursos online, além de reduzir a diferença de acesso à tecnologia entre campo e cidade”, ressalta Fábio.

Ao todo a região conta com seis agroindústrias, uma pequena fábrica de calçados, além dos pequenos prestadores de serviço da comunidade, todos impactados positivamente pelo programa.

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana