conecte-se conosco


Geral

Projeto Eficiência Solidária, da EDP, vai substituir 2.500 lâmpadas LED de moradores de Domingos Martins

Publicados

em

 A partir desta terça-feira, 12, o projeto Eficiência Solidária da EDP, distribuidora de energia elétrica do Espírito Santo, fará a substituição de lâmpadas de maior consumo (incandescentes ou fluorescentes compactas) por LED para clientes residenciais do município de Domingos Matins. Serão distribuídas 2.500 lâmpadas até o dia 19 de outubro. O posto de troca estará instalado na Praça Dr. Arthur Gerhardt, Centro, e funcionará de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, e sábado, das 9h às 13h.

A ação tem como objetivo incentivar a utilização correta e segura da energia elétrica, beneficiando os moradores da área de concessão. Nesta edição do projeto serão disponibilizadas 90 mil lâmpadas. Depois de passar por Domingos Martins, o projeto seguirá para os municípios de: Marechal Floriano, Venda Nova, Jeronimo Monteiro e Rio Novo do Sul. Sendo já atendidas as cidades de Viana e Guarapari.

Além das lâmpadas para os clientes, ao final do programa, 250 lâmpadas LED tubulares serão doadas a instituições sociais.

Desde o início do projeto, em 2016, cerca de 178 mil lâmpadas foram trocadas. A economia de energia gerada foi de 5.999 megawatts-hora/ano (MWh/ano), o que corresponde ao abastecimento de aproximadamente 2.500 residências. Todas as lâmpadas entregues pelos clientes no momento da substituição foram destinadas ao descarte ecologicamente correto.

“O projeto Eficiência Solidária proporciona uma economia real para os clientes com a substituição das lâmpadas, já que a iluminação pode representar cerca de 15% da conta de energia, dependendo do hábito de consumo da família. Além disso, o programa cumpre um papel social importante de reforçar a conscientização sobre o uso racional e seguro da energia elétrica e dos recursos naturais”, afirma Bruno Mendonça, gestor da EDP.

Como participar do projeto Eficiência Solidária

O cliente deve residir na cidade onde o posto de troca estiver instalado e estar munido da última fatura de energia (classificação residencial), documento de identidade, além de estar com as contas de energia em dia. No local, entregará até cinco lâmpadas incandescentes ou fluorescentes compactas para receber a mesma quantidade de LED.

O projeto Eficiência Solidária faz parte do Programa de Eficiência Energética – PEE da EDP, regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). Com o objetivo de preservar os recursos naturais e promover a educação para o uso inteligente da energia elétrica e evitar o desperdício, o PEE da EDP realiza projetos na área de concessão que buscam a conscientização, de modo que a energia seja utilizada com responsabilidade.

Saiba mais sobre o Eficiência Solidária acessando o site edpes.eficienciasolidaria.com.br.

Comparação entre as lâmpadas

Tipo de lâmpada Incandescente Fluorescente compacta LED
Potência (W) 60 15 8
Fluxo luminoso (Im) 864 840 880
Temperatura de cor (k) 2.700 6.500 6500
Vida útil (horas) 1.000 8.000 25.000 (cerca de dez anos)

Comentários Facebook
Propaganda

Geral

Comer bem também se aprende na escola

Publicados

em

Por

Alimentar-se de forma saudável, diversificada e equilibrada pode “vir de berço”, mas também ser algo aprendido na escola. Afinal de contas, o ato de se nutrir faz parte das diversas atividades realizadas diariamente pelos alunos e pode ser aproveitado para estimular o desenvolvimento de hábitos saudáveis de alimentação desde a infância, prática reforçada no Dia Nacional da Alimentação Escolar, comemorado nesta quinta-feira, dia 21 de outubro.

No Centro Educacional Leonardo da Vinci há mais de 30 anos é realizado o Projeto Educação Alimentar. De acordo com o diretor Mário Broetto, a escola optou por não ter cantina com industrializados e oferecer os alimentos aos alunos em refeitórios. “Com a orientação de uma equipe de Nutrição, criamos oportunidades de experimentação de itens naturais diversificados, como frutas, legumes, verduras, grãos, cereais, etc., incentivando-os a adquirir hábitos saudáveis e ter uma relação amigável e consciente com a comida, além de bom comportamento à mesa”, explica.

Durante o ano e conforme a faixa etária, o projeto envolve atividades sistematizadas como rodas de estudo sobre alimentos, experimentação em sala de aula, encontro com a nutricionista da escola, plantio de sementes, acompanhamento do ciclo da vida, colheita no herbanário, entre outras.

Segundo o diretor, a expectativa é formar cidadãos que saibam fazer boas escolhas em relação à alimentação e até influenciem positivamente suas respectivas famílias nesse aspecto. “A formação integral que propomos aos nossos estudantes passa pela alimentação. Buscamos mostrar a eles que comer de forma balanceada vai além do simples satisfazer de necessidades fisiológicas, pode também ser divertido, afetivo, cultural e social”, explica o diretor.

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana