conecte-se conosco


Economia

Receita libera nesta terça consulta ao quinto lote de restituição do IR

A partir das 9 horas desta terça-feira (8), estará disponível para consulta o quinto lote de restituição do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) 2019. O lote de restituição inclui também restituições residuais dos exercícios de 2008 a 2018. O crédito bancário para 2.703.715 contribuintes será realizado no dia 15 de outubro, totalizando R$ 3,5 […]

Publicados

em

A partir das 9 horas desta terça-feira (8), estará disponível para consulta o quinto lote de restituição do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) 2019. O lote de restituição inclui também restituições residuais dos exercícios de 2008 a 2018.

O crédito bancário para 2.703.715 contribuintes será realizado no dia 15 de outubro, totalizando R$ 3,5 bilhões. Desse total, R$180.177.859,42 referem-se ao quantitativo de contribuintes com preferência: 4.848 contribuintes idosos acima de 80 anos, 32.634 contribuintes entre 60 e 79 anos, 4.281 contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou doença grave, e 17.056 contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério.

Para saber se teve a restituição liberada, o contribuinte deverá acessar a página da Receita na internet, ou ligar para o Receitafone 146. Na consulta à página da Receita, serviço e-CAC, é possível acessar o extrato da declaração e ver se há inconsistências de dados identificadas pelo processamento. Nesta hipótese, o contribuinte pode avaliar as inconsistências e fazer a autorregularização, mediante entrega de declaração retificadora.

A Receita disponibiliza, ainda, aplicativo para tablets e smartphones que facilita consulta às declarações do IRPF e situação cadastral no CPF. Com o aplicativo, será possível consultar diretamente nas bases da Receita Federal informações sobre a liberação das restituições do IRPF e a situação cadastral de uma inscrição no CPF.

A restituição ficará disponível no banco durante um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá fazer requerimento por meio da internet, mediante o Formulário Eletrônico – Pedido de Pagamento de Restituição, ou diretamente no e-CAC, no serviço Extrato do Processamento da DIRPF.

Caso o valor não seja creditado, o contribuinte poderá contatar pessoalmente qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para a Central de Atendimento por meio do telefone 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para agendar o crédito em conta-corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer banco.

Comentários Facebook
Propaganda

Economia

Os 7 passos para negociar suas dívidas usando o 13º salário

Publicados

em

Por

O número de famílias brasileiras com dívidas a vencer aumentou para 74%, um novo recorde em comparação com o ano anterior, em que a alta foi de 6,8 pontos. Os dados são da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), divulgada em outubro de 2021 pela Confederação Nacional do Comércio.

Todos nós queremos estar em dia com nossas contas. Mas como negociar melhor nossas dívidas ao receber uma renda extra, como por exemplo, o 13º salário? Neste final de ano algumas dicas de como otimizar as negociações e melhorar os resultados podem ser um excelente presente de Natal, além de ser aquela janela de oportunidade que faltava para trazer tranquilidade para o próximo ano e permitir começar 2022 com o pé direito.

É importante compreender que negociação deve ser encarada como um processo estruturado, portanto a primeira sugestão é sempre fazer todas as fases deste processo, principalmente quando se trata de um assunto importante que tenha alto valor, como uma dívida financeira. O processo de uma negociação tem em sua essência três fases: preparação (antes), execução (durante) e controle (depois). Se você quer melhorar o resultado deve melhorar o processo, ou seja, investir tempo e esforço de forma sábia em cada uma dessas etapas.

Os especialistas Alfredo Bravo e Glauco Cavalcanti, professores da Fundação Getúlio Vargas, professores da FGV e especialistas em negociação prepararam 7 dicas para negociar suas dívidas:

1 – Conheça o valor total das suas dívidas: listar as dívidas por ordem de atraso e urgência de pagamento pode ser um ótimo passo para solução do problema. Entenda quais dívidas geram juros mais altos porque provavelmente são essas que estão comprometendo sua renda mensal.

2 – Faça um balanço do seu fôlego financeiro: é importante saber quanto você ganha e quais são os principais gastos. Este estudo é fundamental para definir o que deve ser cortado do seu orçamento a fim de saldar suas dívidas. Ter os números em mãos lhe ajudará a pensar na melhor estratégia financeira.

3 – Monte o planejamento para negociação: sabendo o tamanho da dívida e seu fôlego financeiro mensal, fica mais fácil negociar com as instituições credoras. Mas antes é importante definir os 7 elementos do planejamento, que são: objeto, objetivos, interesses, alternativas em caso de não acordo, moedas de troca, campo da negociação e argumentos que serão utilizados.

4 – Negocie com os credores: após fazer o contato com os credores solicite propostas para quitação do saldo devedor. Compare as condições apresentadas com todo seu planejamento e avance neste processo negocial utilizando argumentos baseados em critérios objetivos, ou seja, dados e fatos que convençam a outra parte.

5 – Troque dívidas mais caras por mais baratas: em caso de não acordo com os credores você poderá partir para portabilidade de crédito, ou seja, procurar instituições que ofereçam melhores condições de pagamento e assim transferir sua dívida. O objetivo é que pague juros mais baixos e crie um fôlego financeiro enquanto não consegue sair da dívida.

6 – Negocie suas contas de consumo: contas de telefone, internet, TV a cabo, anuidade do cartão de crédito e tarifas bancárias são gastos mensais que podem ser reduzidos quando praticamos a negociação. Enquanto negocia suas dívidas, esteja atento aos gastos mensais que podem ser reduzidos. Entenda que chegou a hora de sair do vermelho e todo esforço é válido neste momento.

7 – Corte os gastos desnecessários: de nada adianta negociar com os credores, reduzir as contas de consumo e manter gastos desnecessários. Neste sentido vale conscientizar toda família para um esforço conjunto. Vale fazer uma varredura dos serviços de internet, academia que está sendo paga sem uso e compras por impulso. O consumo mais consciente pode ajudar a família a voltar a ter equilíbrio financeiro.

Entenda que final do ano é o período ideal para fazer o balanço da sua vida, rever hábitos e adotar novas práticas financeiras. Estudar mais sobre educação financeira e melhorar sua habilidade para negociar podem lhe auxiliar a atingir a paz que você tanto procura.

Sobre os Especialistas:

As informações sobre a metodologia desenvolvida estão reunidas no livro Negociação 7.0 – Os sete passos do planejamento para uma negociação eficaz que acaba de ser lançado e está disponível na Amazon e na Hotmart. A obra foi escrita por:

Glauco Cavalcanti – É professor da FGV, palestrante, escritor e sócio fundador da GC-5 Negotiation Solutions, empresa especializada em treinamento corporativo que conta com um grupo de consultores de excelência na área de negociação . É PhD pela Florida Christian University, Mestre em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas, com MBA em Marketing pela Fundação Getúlio Vargas e Graduado em Administração de Empresas pela PUC-RJ.

Alfredo Bravo – É professor da FGV, palestrante, escritor e consultor com mais de 25 anos de experiência em Negociação, Vendas e TI . Atualmente é diretor comercial da Paragon TI, empresa que trabalha com projetos de sistema de informação envolvendo hardware, software e serviços. É Doutor em Administração pela Universidade Nacional de Rosário – UNR e Mestre em Sistemas de Gestão pela Universidade Federal Fluminense – UFF. Graduado em Administração de Empresas pela Universidade Federal Fluminense – UFF, tem MBA em Administração de Empresas e Negócios pela Fundação Getúlio Vargas – FGV.

Comentários Facebook

Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana