conecte-se conosco


Geral

Santa Casa usa música para acalmar e aliviar o estresse dos funcionários

Publicados

em

Já dizia a sabedoria popular: Quem canta seus males espanta. E pensando nisso, a Santa Casa de Misericórdia Cachoeiro vem utilizando música para acalmar e aliviar o estresse de funcionários principalmente durante a pandemia.

O hospital possui um coral e todos os colaboradores podem participar dessa iniciativa. Por causa da necessidade do distanciamento social, as aulas estão acontecendo de forma online.

Segundo a regente do coral, Rosi Braga, cantar é uma ótima oportunidade para aliviar a ansiedade e também a tensão causada no dia-a-dia.

“Quando a gente canta, ajuda a produzir em nosso organismo duas substâncias que aumentam a sensação de prazer e bem estar. O cortisol, que é um hormônio ligado ao controle do estresse, e a endorfina, ligada ao prazer”, explicou.

Além disso, “o canto melhora nossa imunidade e naturalmente a gente acaba ficando mais calmo e mais tranquilo”, destacou a regente.

A coordenadora do Grupo de Humanização da Santa Casa, Vívian de Paula, é uma das alunas do coral. Segundo ela, durante os ensaios é o momento em que o estresse fica de lado.

“São momentos agradáveis, tranquilos e que nos ajudam a vencer os desafios e dificuldades, além de auxiliar no desenvolvimento de qualidades no ambiente de trabalho”.

Para participar do Coral da Santa Casa não é necessário ser cantor profissional para poder participar. “No próprio coral a gente faz o treinamento de afinação, colocação da voz e, a partir daí, a pessoa já pode aprender a cantar”, explicou a regente.

O único pré-requisito para poder participar é ter disponibilidade para participar dos ensaios e também das apresentações que são realizadas durante o ano. Por causa da pandemia, as apresentações foram reduzidas.

Os ensaios acontecem sempre às quartas-feiras. Quem quiser participar basta entrar em contato com a regente pelo número (28) 99903-7070.

Comentários Facebook
Propaganda

Geral

Da cozinha à luta contra a pandemia: Usado como barreira contra a Covid-19, plástico filme ganhou diversas aplicações além da doméstica

Publicados

em

Por

A rotina de proteção e higienização diária contra a proliferação do coronavírus envolve o uso de materiais como máscaras, álcool em gel e também o plástico. O material filme PVC, produto que sempre foi mais utilizado em cozinhas para fechar recipientes e conservar alimentos, agora vem sendo aplicado amplamente em diversos produtos e superfícies de usos compartilhados a fim de evitar contaminação e, assim, auxiliar no combate à pandemia.

Segundo informações do Instituto de Pesquisa Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), embora o coronavírus ainda seja novo para a ciência, já se sabe que a transmissão se dá por secreções contaminadas através do contato com pessoas contaminadas ou com objetos e superfícies contaminados, seguido do toque na boca, nariz ou nos olhos.

Para ajudar a combater essa que se tornou a maior crise sanitária de todos os tempos, a empresa de plástico filme, Alpfilm, desenvolveu o Alpfilm Protect contra o Sars Cov 2 , um material específico com formulação que inativa o novo vírus. O plástico foi testado e teve sua eficiência comprovada através da empresa QuasarBio, referência em ensaios com SARS-Cov-2 que tem laudos protocolados pelo Professor Lucio Holanda Gondim de Freitas, especialista no assunto. Os ensaios foram realizados no laboratório Nível de Biossegurança 3 (NB3) – especializado na manipulação de microrganismos com alto grau de patogenicidade e que oferecem risco à vida humana e ao meio ambiente.

O produto, que já contava com propriedades antifúngicas e bactericidas – graças à presença de micropartículas de prata – passou por uma série de estudos para adequações em sua composição com o objetivo de assegurar sua eficácia antiviral, em especial contra o novo coronavírus. O resultado foi um produto que apresenta respostas positivas que chegam a 79,9% de inativação nos primeiros três minutos, chegando a 99,99% de eficácia em até 15 minutos.

“Desde 2014 a nossa linha de produtos AlpFilm Protect conta em sua composição com uma solução que evita a proliferação de fungos e bactérias, oferecendo uma barreira de proteção eficaz para a conservação de alimentos e outros produtos embalados com o plástico filme. Diante dos desafios impostos pela Covid-19, decidimos voltar nossas atenções para a pesquisa e desenvolvimento dessa evolução do produto para a inativação do novo coronavírus por contato”, explica Alessandra Zambaldi, diretora de Comércio Exterior e Marketing da Alpes.

Segurança extra em diversos ambientes

A partir da comprovação de sua eficácia contra o coronavírus, o material plástico filme vem sendo utilizado em diversos materiais de uso comum e que requerem o contato frequente das mãos. Dentre eles, as maquininhas de pagamento e celulares são alguns exemplos de equipamentos que não permitem a limpeza com álcool em gel direto nos produtos, já que a água presente na formulação pode oxidar e danificar as peças do produto. Por isso, para mantê-los higienizados é ideal envolvê-los no plástico filme.

O material também é utilizado em ambientes residenciais. No estado de Santa Catarina, a Diretoria de Vigilância Sanitária definiu uma série de medidas de prevenção e combate ao vírus nos condomínios da região. Com isso, um dos critérios do órgão é de que trabalhadores que atuam nas portarias de condomínios residenciais devem utilizar o plástico filme sobre os teclados e mouses dos computadores e, substituindo a proteção a cada turno.

“Como o vírus é invisível e ainda não temos o controle da doença atual, é impossível ter o domínio total de higienização dos produtos e superfícies. Por isso, o Alpfilm Protect é fundamental neste momento, já que contribui no combate à proliferação do vírus nos objetos mais comuns do cotidiano e, salvando vidas”, comenta.

O plástico filme PVC também inativa o vírus em diversos ambientes públicos – que possui grande tráfego de pessoas – como em superfícies de maçanetas, corrimãos, controles remoto, botões de elevadores e telas sensíveis ao toque.

A proteção está presente, inclusive, dentro de carros. Nesta pandemia, o plástico filme pôde ser encontrado em volantes e marchas de vans escolares, – no período de aulas presenciais- já que transportam grande fluxo de pessoas por dia e também em carros que se encontram em oficinas mecânicas, uma vez que o contato das mãos com outras pessoas é frequente.

Outro exemplo é o carro de auto-escola, que também abrange um grande fluxo de motoristas no mesmo veículo. Por isso, o uso do plástico filme é amplamente recomendado em diversos estabelecimentos.

Carrinhos e cestas de mercado também já passaram a utilizar o produto como forma de combate à pandemia.

“No combate à pandemia, o plástico tem se mostrado um grande aliado. Afinal, a higiene e a descartabilidade são características dos produtos de ‘uso único’, que contribuem para a prevenção não só do coronavírus, mas de diversas outras doenças. Contudo, para evitar impactos negativos ao meio ambiente, esses materiais devem ser descartados de forma adequada: em coleta seletiva ou em postos de reciclagem específicos para o plástico filme PVC.”, finaliza a profissional.

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana