conecte-se conosco


Estado

Saúde do coração precisa ser acompanhada da infância até a vida adulta, alerta médico da Unimed Sul Capixaba

Publicados

em

Doenças cardiovasculares podem ser silenciosas e resultar em morte súbita e outras complicações; além da avaliação com cardiologista, é preciso evitar fatores de risco

A morte do empresário João Paulo Diniz, aos 58 anos, reforçou o alerta sobre a necessidade de prevenção às doenças cardiovasculares a partir da realização de exames periódicos, mesmo por parte de pessoas aparentemente saudáveis.

Diniz era atleta amador e mantinha uma rotina ativa de exercícios físicos, como demonstrava em suas redes sociais, e sofreu um mal súbito após sair para correr, conforme informou a família.

O médico cardiologista da Unimed Sul Capixaba, Wilson Júnior, destacou que a saúde do coração depende de vários fatores que precisam ser monitorados ao longo de toda a vida, começando na infância.

Segundo Wilson, a atividade física é recomendada para manter a saúde do coração, e inclusive utilizada para a reabilitação cardíaca. Entretanto, sua prática sem uma avaliação prévia com cardiologista e o acompanhamento adequado de um profissional de educação física pode ofertar riscos à saúde.

“Esses perigos não vêm só para o coração, mas também para as articulações, músculos e todo o corpo, principalmente para exercícios em níveis que estejam além da capacidade do paciente. É comum as pessoas começarem a fazer exercício e acharem que são atletas desde o início”, alertou o especialista.

Para cuidar do coração, o médico lembrou que é preciso estar atento aos fatores de risco, e que uma avaliação com cardiologista ao longo de várias etapas da vida pode detectar doenças que são silenciosas e trazem riscos para o coração.

“As crianças devem ter avaliação com o pediatra, ver sua alimentação, participar de atividades físicas e ter pelo menos uma avaliação de colesterol e glicose. Entre os 20 e 30 anos é recomendada uma avaliação da saúde cardiovascular, com exame físico e eletrocardiograma, até para que se tenha um eletro de base para saber como é a sua função normal, e exames complementares quando necessário”, explicou o cardiologista.

“Há outras doenças que são determinantes para o aparecimento de doença cardiovascular, como hipertensão e diabetes, que são silenciosas e não serão encontradas sem uma avaliação períódica. Quanto mais precocemente forem encontradas e tratadas, menor a chance de ocorrência dessas complicações”, alertou Wilson.

O médico complementou ainda que os sintomas das doenças cardiovasculares são amplos e só um cardiologista poderá definir seu diagnóstico e tratamento. “Pode ocorrer de a primeira apresentação ser a morte súbita, como do empresário em questão, até ter dor no peito, falta de ar e outros sintomas. Qualquer dor no peito precisa ser avaliada em pronto-socorro. Quem irá definir se é característica de doença cardiovascular é o cardiologista”, completou.

Fatores de risco para as doenças cardiovasculares

○     Hipertensão

○     Diabetes

○     Colesterol alto

○     Tabagismo

○     Sedentarismo

○     Obesidade

○     Estresse excessivo

○     Histórico familiar de doença cardiovascular

Comentários Facebook

Estado

Recursos da Lei Paulo Gustavo para setor cultural capixaba serão discutidos em Vitória nesta terça (16)

Publicados

em

Por

Evento acontece nesta terça-feira (16), na Casa da Música Sônia Cabral, no Centro de Vitória, a partir das 18h30. Estão previstos cerca de R$ 40 milhões de repasse ao Estado e R$ 35 milhões para os 78 municípios.

A Lei Paulo Gustavo vai destinar R$ 75 milhões ao fomento do setor cultural capixaba. Para apresentar e debater os impactos, benefícios e oportunidades dos recursos no Estado, a equipe da Secretaria da Cultura (Secult) realiza um encontro aberto ao público, que acontece nesta terça-feira (16), às 18h30, na Casa da Música Sônia Cabral, localizada no Centro de Vitória.

Estão previstos cerca de R$ 40 milhões de repasse ao Estado e R$ 35 milhões para os 78 municípios. Esta divisão decorre de um mecanismo que calcula a população de cada local perante ao fundo de participação dos estados e municípios. Deste valor, aproximadamente 75% serão direcionados ao setor audiovisual e 25% para os demais segmentos da arte e cultura.

“Além da  presença dos empreendedores e fazedores de cultura em geral,  será importante que entidades de todo o Estado conheçam sobre a mobilização em torno da Lei”, afirmou o secretário de Estado da Cultura e presidente do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Estaduais de Cultura, Fabrício Noronha.

Lei Paulo Gustavo

Com o objetivo de auxiliar o setor cultural prejudicado pela pandemia da Covid-19, o  Projeto de Lei Paulo Gustavo (PLP 73/21) foi apresentado como recurso de ação emergencial no mês de novembro de 2021 no Senado e em julho deste ano foi promulgada como Lei Complementar 195/22. O nome da Lei homenageia o ator Paulo Gustavo, que faleceu em maio de 2021, devido à Covid-19.

O recurso total de R$ 3,86 bilhões é proveniente do superávit financeiro do FNC (Fundo Nacional de Cultura), e do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), recursos financeiros estes que não seriam utilizados no cronograma de pagamento dentro do exercício fiscal e que poderiam ser empregados como fonte de recurso adicional a ser operado diretamente pelos estados e municípios.

Serviço:

Encontrão Capixaba – Lei Paulo Gustavo e seu impacto no ES

Data: 16/08 (terça-feira)

Horário: 18h30

Local: Casa da Música Sônia Cabral, Centro de Vitória.

Aberto ao público.

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana