conecte-se conosco

Estado

Sesa divulga 26º boletim da dengue, zika e chikungunya no Espírito Santo

Publicado


.

Nesta quinta-feira (02), a Secretaria da Saúde (Sesa) divulga o 26º boletim da dengue, zika e Chikungunya no Estado. Os casos de dengue no Espírito Santo seguem uma tendência de diminuição, com 18.883 casos a menos quando comparado à SE 26º de 2019.

Na SE 26º deste ano, o Estado totaliza, até o momento, 40.369, enquanto no mesmo período do ano anterior foram 59.252 casos. 

Entretanto, os cuidados para a não proliferação do Aedes aegypti (transmissor da dengue, zika e chikungunya) devem continuar. Para evitar a proliferação do mosquito, é necessário que toda a população esteja empenhada no processo. 

São cuidados importantes como varrer os quintais periodicamente; verificar se as caixas d’água estão limpas e lacradas; escovar bem as bordas dos recipientes de água e alimento dos animais; manter calhas sempre limpas; colocar areia nos pratinhos de planta e manter garrafas vazias de cabeça para baixo.

 

Veja aqui o 26º boletim da dengue.

 

Veja aqui o 26º boletim de zika.

 

Veja aqui o 26º boletim chikungunya.

 

Informações à Imprensa:

Assessoria de Comunicação da Sesa

Syria Luppi / Kárita Iana / Luciana Almeida / Thaísa Côrtes / Luan Ribeiro

(27) 3347-5642 / 3347-5643

[email protected]  

Fonte: Governo ES

Comentários Facebook
publicidade

Estado

Idaf promove ações de monitoramento e controle de viroses do mamão

Publicado

 

.

O Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf) iniciou, nesta segunda-feira (27), uma operação para fortalecer o trabalho de fiscalização em lavouras de mamão do Norte do Estado, visando minimizar os prejuízos decorrentes de viroses que atingem essa cultura, como o mosaico e a meleira.

A ação teve início em Linhares, com a vistoria de 32 lavouras, distribuídas em 21 propriedades, e, durante as próximas semanas, contemplará os municípios de Boa Esperança, Conceição da Barra, Jaguaré, Montanha, Nova Venécia, Pedro Canário, Pinheiros, São Mateus e Vila Valério.

De acordo com o diretor-presidente do Idaf, Mário Louzada, o trabalho é fundamental para verificar o atendimento à exigência legal do corte seletivo (roguing) das plantas doentes. “A transmissão do vírus ocorre em progressão geométrica, atingindo, inclusive, as plantações do entorno. Por isso, é essencial que cada produtor faça sua parte, de modo a não impactar, inclusive economicamente, na produção”, alertou Louzada.

Os proprietários das lavouras em que forem identificados casos de mosaico e meleira serão notificados a fazer o corte dentro do prazo legal, em até sete dias. Após esse período, os servidores do Idaf retornam às lavouras para verificar se o roguing foi realizado. Caso não tenha sido, o Instituto solicita o corte compulsório das plantas.

O gerente de Defesa Sanitária Vegetal do Idaf, Daniel Pombo de Abreu, informa que, o trabalho emergencial é necessário nesta época do ano em que a incidência da doença é intensificada. “Mas é preciso destacar que o Idaf desenvolve um monitoramento permanente, com vistoria e coleta de material para análise laboratorial e, quando necessário, implementação do roguing”, explicou.

Cooperação técnica

Ainda no trabalho de fortalecimento das ações de controle das doenças que atingem o mamão, o Idaf irá renovar o Termo de Cooperação Técnica com a Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Papaya (Brapex). O acordo prevê apoio na logística de envio de amostras para análise laboratorial e também na execução do roguing.

Fonte: Governo ES

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA NACIONAL

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana