conecte-se conosco


Cidades

Últimos dias para inscrições no curta Vitória a Minas II

Publicados

em

Moradores de Colatina e dos outros 21 municípios situados no entorno da Estrada de Ferro Vitória a Minas poderão realizar o sonho de transformar uma história real ou inventada em curta-metragem. As inscrições para o Curta Vitória a Minas II encerram na próxima quinta-feira (30) de junho através do site www.curtavitoriaaminas.com.br.  Além de Colatina, no Espírito Santo poderão se inscrever moradores de Fundão, Ibiraçu, João Neiva e Baixo Guandu.

O objetivo é possibilitar aos moradores das cidades que se desenvolveram ao longo da Estrada de Ferro Vitória a Minas a oportunidade de contar histórias e transformar em filme, registrando as memórias, os costumes, os hábitos, as lendas e as peculiaridades destas localidades, contribuindo para o fortalecimento territorial e comunitário.

Pode se inscrever qualquer pessoa acima de 18 anos, residente em uma das cidades indicadas, que tenha interesse em audiovisual, mesmo sem experiência anterior na área. Cada história deverá ter apenas um autor. No entanto, a mesma pessoa pode inscrever quantas histórias quiser, sendo que apenas uma delas poderá ser selecionada. A temática é livre e não precisa ser relacionada a histórias da ferrovia. Uma comissão integrada por profissionais de cinema escolherá dez histórias a partir de critérios como originalidade do texto e o interesse gerado pelo tema.

O Curta Vitória a Minas II é patrocinado pelo Instituto Cultural Vale, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, e conta com a realização do Instituto Marlin Azul, Secretaria Especial de Cultura/Ministério do Turismo/Governo Federal.

Formação, produção e difusão

Os autores selecionados participarão, no período de 13 a 28 de agosto, do Curso de Formação Básica sobre roteiro, direção, produção, fotografia, direção de arte, som, montagem, direito autoral, com a orientação de profissionais das áreas do cinema, televisão, jornalismo e história.  As despesas com transporte, hospedagem, alimentação, equipamentos e serviços para participação nas oficinas serão custeadas pelo projeto.

E com o roteiro e o plano de filmagem em mãos, o autor voltará para a cidade de origem para gravar o filme com o suporte de equipamentos de captação de imagens e de som e a orientação de uma equipe de profissionais audiovisuais.

Após as gravações, o autor partirá para a etapa de montagem tendo o acompanhamento de um editor e de um finalizador. As obras comporão um circuito de difusão com exibições abertas e gratuitas em telas de cinema montadas em ruas e praças das cidades participantes.

As ficções e documentários integrarão uma coletânea distribuída para os autores selecionados, instituições culturais e educativas dos municípios selecionados, secretarias municipais e estaduais de educação e cultura do Espírito Santo e Minas Gerais, bibliotecas públicas, pontos de cultura, cineclubes e universidades.

Histórico – 1ª edição

Esta é a segunda edição do Curta Vitória a Minas. Na primeira, lançada em 2014, foi transformada em filme a seguinte história de Colatina:  “O Som do Silêncio”, de Juliana Brêda. Todos os filmes da primeira edição podem ser assistidos no site www.imacultural.org.br.

Serviço:
Concurso de Histórias do Curta Vitória a Minas II

Período de inscrição: até 30 de junho de 2022
Quem pode participar: Fundão (ES), Ibiraçu (ES), João Neiva (ES), Colatina (ES), Baixo Guandu (ES), Aimorés (MG), Itueta (MG), Resplendor (MG), Conselheiro Pena (MG), Tumiritinga (MG), Governador Valadares (MG), Periquito (MG), Belo Oriente (MG), Naque (MG), Santana do Paraíso (MG), Ipatinga (MG), Coronel Fabriciano (MG), Timóteo (MG), Antônio Dias (MG), João Monlevade (MG), Nova Era (MG), Bela Vista de Minas (MG).

Como se inscrever:
Pela Internet – Preencher o formulário de inscrição no site www.curtavitoriaaminas.com.br, anexar cópia do RG, CPF e comprovante de residência atual em nome do autor da história (conta de luz, água ou telefone).
Pelos Correios – Juntar em um único envelope o formulário de inscrição (devidamente preenchido e assinado); cópia do RG, CPF e comprovante de residência atual em nome do autor da história (conta de luz, água ou telefone); e enviar para o endereço: Projeto Curta Vitória a Minas II – Instituto Marlin Azul – Rua Oscar Rodrigues de Oliveira, 570 – Jardim da Penha – Vitória – ES – CEP 29060-720.
Como esclarecer dúvidas: através do email: [email protected] e do telefone (27) 3327-6999.

Comentários Facebook

Cidades

Sebrae realiza a instalação de internet em duas comunidades de Alegre e Conceição do Castelo

Publicados

em

Por

Distritos em Conceição do Castelo e Alegre foram beneficiados pelo programa Wi-Fi Brasil

Moradores de duas comunidades rurais do Espírito Santo receberam no último mês a instalação de antenas de internet para facilitar a comunicação e o acesso à informação, através do programa Wi-Fi Brasil, desenvolvido em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

No distrito localizado em Conceição do Castelo, cerca de 500 produtores rurais e da agricultura familiar foram beneficiados com a instalação. Já em Feliz Lembrança, comunidade de Alegre, 60 famílias já estão com acesso à internet.

“Entendemos que é necessário, especialmente nos dias de hoje, que todas as pessoas tenham acesso à internet, pois é lá que a comunicação acontece. Disponibilizar o wi-fi para essas comunidades significa oferecer oportunidades de negociações, e ampliar as possibilidades de mercado e renda para as famílias”, finaliza o gerente regional do Sebrae/ES, Ivair Segheto.

O empreendedor Fábio de Souza, dono da agroindústria Frumel, está entre os beneficiados pelo programa em Alegre. Ele conta que antes da instalação, os moradores compartilhavam a rede móvel e poucas casas tinham ponto de internet.

“Antes os vizinhos se ajudavam, um ia para a casa do outro para usar a internet. Agora com o ponto de acesso na praça, as pessoas vão até o centro comunitário para fazer suas pesquisas. Esse projeto do Sebrae é importante porque deixa a comunidade conectada 24 horas e fortalece inclusive a permanência do jovem na região, incentiva que eles criem algo, façam seus estudos e cursos online, além de reduzir a diferença de acesso à tecnologia entre campo e cidade”, ressalta Fábio.

Ao todo a região conta com seis agroindústrias, uma pequena fábrica de calçados, além dos pequenos prestadores de serviço da comunidade, todos impactados positivamente pelo programa.

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana