conecte-se conosco


Cidades

Vargem Alta, 31 anos da cidade das águas e do verde onde os rios e a natureza encantam a vida

O município de Vargem Alta celebra nesta quarta-feira (20) mais um aniversário de emancipação política. Nos do Hoje ES vamos contar um pouco da historia e o que acontece na Suíça Capixaba. Tudo aconteceu em março de 1988, quando um plebiscito apontou que 87 % da população foi favorável à separação do município de Cachoeiro […]

Publicados

em

O município de Vargem Alta celebra nesta quarta-feira (20) mais um aniversário de emancipação política. Nos do Hoje ES vamos contar um pouco da historia e o que acontece na Suíça Capixaba.

Tudo aconteceu em março de 1988, quando um plebiscito apontou que 87 % da população foi favorável à separação do município de Cachoeiro de Itapemirim. A criação do município se deu através da Lei n° 4.063, de 6 de maio de 1988. A instalação se deu em 1° de janeiro de 1989. Tem uma área de 417 km², equivalente a 0,91% do território estadual. Limita-se ao norte com o município de Domingos Martins; ao sul, com Itapemirim; a leste, com Rio Novo do Sul e Alfredo Chaves e a oeste, com Cachoeiro de Itapemirim e Castelo. Dista de Vitória cerca de 136 quilômetros. Veja alguns motivos pelos quais os vargem altenses devem se orgulhar.

Dias melhores para a cidade na qual o turismo é um dos principais pontos da vida da cidade “do Verde e das Águas”, como é chamada. A natureza é exuberante e o clima semelhante ao europeu, como belas paisagens com rios, cachoeiras, montanhas e morros, entre as quais a Cachoeira do Caiado, recentemente reaberta ao público. Além deste tom turístico, os atrativos naturais do município serrano agradam tanto aqueles que buscam descanso, como quem quer praticar esportes radicais.


Além da sede, com altitude de 620 metros, é compreendido pelo distrito de Castelinho, Jaciguá, Prosperidade e São José de Fruteiras. O relevo apresentado varia de fortemente ondulado a montanhoso, possuindo quedas d’água que formam inúmeras cachoeiras e corredeiras. O ponto mais elevado é a pedra do Canudal, com altitude de 870 metros. As bacias que compõem a paisagem hidrográfica do município são as dos rios Novo e Itapemirim, cujas áreas são de 184 e 233 km², respectivamente, destacando-se como principais rios o Fruteiras e o Novo.

Entre os cartões postais de Vargem Alta, destaca-se o tradicional presépio mecânico do distrito de Jaciguá. Por ser pioneiro no Estado, já atraiu a atenção da imprensa regional e nacional, pelo seu grande valor cultural e artístico.

A economia de Vargem Alta é baseada na agricultura e na exploração do mármore e do granito.

Uma das qualidades de Vargem Alta é a caracterização hídrica, onde há um período úmido que permite definir a duração da estação chuvosa de 10 meses, sendo parcialmente secos os meses de agosto e setembro. O índice de umidade no verão é de 1,57% e no inverno de 0,92%. Na parte norte é freqüente a precipitação de granizo no período compreendido de junho a agosto. A temperatura média das máximas do mês mais quente fica em torno de 30,3°C e a mínima do mês mais frio fica próxima a 11,5°C.

A extração do primeiro bloco de mármore em Prosperidade

No Espírito Santo, a extração do primeiro bloco de mármore aconteceu há 50 anos. Mais precisamente no dia 7 de abril de 1957, na localidade de Prosperidade, município de Vargem Alta – na época pertencente à Cachoeiro de Itapemirim.
A pedra foi extraída na fazenda do produtor rural Horácio Scaramussa, filho de imigrantes italianos, depois que seu sobrinho Oge Dias de Oliveira, ao ver as montanhas do mineral, resolveu levar amostras para análise no Rio de Janeiro e encontrou mercado junto a marmorarias daquele Estado.

Mais um pouco da história

No início da colonização portuguesa instalaram-se fazendas escravocratas na região, mas estas foram desativadas antes do início da imigração italiana no século XIX. A colonização no município se deu com a doação de terras na época do Segundo Império (D. Pedro II). O clima da região fez com que uma parte dos imigrantes italianos da colônia de Rio Novo do Sul iniciasse uma migração interna para a região que compreende hoje os municípios de Vargem Alta, Venda Nova do Imigrante e outros.

Estes imigrantes primeiramente se estabeleceram nas comunidades de São João, Boa Esperança e Concórdia. E progressivamente foram conquistadas Vargem Alta, Prosperidade, Pombal, São José de Fruteiras e Castelinho.

O município de Vargem Alta é cortado de norte a sul pela Rodovia ES-164 (Rodovia Geraldo Sartório).

A Estrada de Ferro Leopoldina também cruza o território e foi a responsável em grande parte da história do município pelo seu desenvolvimento e também pela formação dos núcleos populacionais surgidos a partir de sua construção. No município, mais exatamente da localidade de Prosperidade, foi extraído em 1957 o primeiro bloco de mármore no estado do Espírito Santo, inaugurando a fase de exploração e beneficiamento de rochas ornamentais do Estado.

As curiosidades de um cômodo construído em meados de 1920 podem revelar muito da história e do cotidiano de uma época. É o que afirma o presidente da associação Vem Viver Vargem Alta, Tiago Turini, “Uma peça de mobiliário traz muito da história da época e de quem construiu e viveu nesses casarões”.

No município, o casarão da Fazenda Jaciguá está aberto à visitação nos finais de semana. O visitante é recebido pelos próprios moradores, membros da família Altoé que passam fins de semana e feriados em Vargem Alta.

Segundo Tiago, a prefeitura teria que criar uma rota de visitação da arquitetura antiga que inclua outras casas históricas da região como o Colégio Salesiano, inaugurado em meados de 1923.

As estações ferroviárias, os pontilhões da ferrovia poderiam ser explorados por praticantes de esportes radicais e grupos de caminhadas.

Cachoeira do Caiado
Além da queda de água, possui uma pequeno lago. É a mais próxima da cidade, localizada em Guiomar, sendo muito visitada pela beleza de sua queda natural e lago de águas cristalinas. Estrada para Iconha – Guiomar à 7,5 km.

Cachoeira do Caiado Foto: Tiago Turini

Mata de Caetés

A região da Mata é uma área rica em biodiversidade e tem um grande potencial turístico. É realizado o encontro de observadores de aves para esclarecer o porquê de dar atenção a esse local e discutir como poderemos agir em conjunto para promover a preservação juntamente com o desenvolvimento econômico da região.

Saíra Apunhalada: Um dos aspectos que chamou a atenção dos ambientalistas para essa região é uma ave conhecida como Saíra Apunhalada (Nemosia Rounei). Por mais de cem anos permaneceu conhecida por um único exemplar, capturado em 1870. Em 1941, foi avistada em Itarana, até ser registada em 1998, em Conceição do Castelo.  Em 2003, outros exemplares foram avistados em Vargem Alta, e novos registros foram realizados mais recentemente. A Saíra Apunhalada é uma ave extremamente rara e está ameaçada de extinção.

Pedro Deverley, representante da Sociedade para a Conservação das Aves do Brasil (Save Brasil), explicou o significado da presença dessa ave em terras capixabas. “Aves indicam a qualidade do meio ambiente em que se encontram, além disso, são polinizadores. O fato da região da Mata de Caetés e RPPN Monte Verde ter uma biodiversidade ampla e ser o habitat de uma ave tão rara indica que tem alta qualidade ambiental, e o quão importante é preservar essa área”.

Observação de aves

Com a sua grande variedade de aves, a região da Mata de Caetés e RPPN Monte Verde é um lugar estratégico para o segmento de observação de aves. No Brasil, estima-se que existam cerca de 50 mil observadores de aves, número que vem crescendo. Com a unidade de conservação, esse segmento pode ser explorado, trazendo para região conservação ambiental, turismo e desenvolvimento econômico.

O agroturismo na Cachoeira do Brother – cama, café e mel

A Cachoeira do Brother está a aproximadamente 110 Km de distância de Vitória, o que leva algo em torno de 2:20 h de estrada, indo pela BR-262, a depender do trânsito.

Ao chegar no terreno, procure pelo Brother ou por sua esposa Denise para que eles possam acompanhá-los ou orientá-los em como chegar até a cachoeira e em como utilizar o espaço de maneira segura. 

O Brother também oferece em seu terreno espaços para quem busca um lugar para acampar na natureza, mas em um terreno fechado e seguro.

Para uma referência mais próxima, ela está a 30 minutos (24 Km) do Parque Estadual da Pedra Azul, seguindo pela Rota do Lagarto.

Contato(28) 3528-4114

Mirante do Córrego Alto
À margem da estrada que liga Vargem Alta a Cachoeiro de Itapemirim. Linda vista para o Vale do Córrego Alto e Prosperidade. ES-164 para BR 262, km 35, à 6 km.

Mirante do Alto Formoso
Com 1.000 metros de altitude e de onde se vê Cachoeiro de Itapemirim, o Vale da Fruteira, a pedra de Itabira, e a baixada do Soturno com suas jazidas de mármore. Pico do Itabira, Baixada do Soturno
ES-164 para Cachoeiro de Itapemirim, 11 km.

Gruta das Andorinhas
Situada na localidade de São Carlos, a 10 quilômetros da sede. É famosa pela invasão das andorinhas que procuram a gruta na época de procriação. A revoada dos milhares de pássaros é um lindo espetáculo.

Estação Ferroviária
Estrada de Ferro Leopoldina, bem no centro da cidade.

Quitutes na AgroArt !

As delícias típicas da fazenda e os trabalhos artesanais produzidos em Vargem Alta também são famosos na região. 
Na AgroArt, no centrinho, encontra-se biscoitos, geléias, vinhos, licores e cachaça, além de peças em crochê, tapeçarias e cestarias em cipó e bambu.

Circuito da Uva e do Café

Passear por Vargem Alta está mais organizado e fácil, desde que foi lançado o Circuito da Uva e do Café, que reúne dez estabelecimentos do município que foram preparados para oferecer um serviço de qualidade ao turista. O nome remete ao potencial agroturístico da região. Foram cerca de dois anos de capacitação. Os interessados em fazer parte do circuito, tiveram que fazer cursos na área de embutidos, defumados, hotéis e cama e café. Entre os objetivos, está a melhora da qualidade de vida de quem participa. No distrito de Castelinho, os destaques são artesanatos e uma casa de madeira, que fica aberta ao público. Em Fruteiras, há pesque-pague. Já na sede, o turista pode se alojar em uma das pousadas. Nos estabelecimentos, será possível encontrar também comidas e derivados da agricultura local, como a uva e o café, que deram nome ao circuito. A uva está há cerca de 50 anos na região e serve de base para vinhos, geleias e sucos. Já o café é forte na região serrana e Vargem Alta tem essa tradição.

Mirante do Alto Formoso e Rampa de Voo Livre

O Mirante do Alto Formoso possui uma das vistas mais bonitas da região. Localizado às margens da rodovia, o local possui um restaurante e churrascaria com área de lazer.  Além disso, existe uma rampa de parapente e instrutores de voo livre da Associação de Voo Livre de Cachoeiro de Itapemirim (AVLCI).

Reserva Particular do Patrimônio Natural Mata da Serra

A RPPN Mata da Serra, junto com o restante da propriedade, forma um conjunto harmônico de meio ambiente belo e preservado, com construções de bom gosto em estilo rústico, que forma o Sítio Recanto da Serra. Funciona como uma hospedaria rural com três suítes, que foram construídas obedecendo às normas de acessibilidade. Ele funciona como um ambiente turístico-pedagógico para educação ambiental, uma hospedaria ambiental, além de um espaço para a prática do ecoturismo, turismo de aventura, contemplativo e de pesquisa ambiental. A porção de Mata Atlântica da propriedade e entorno encontra-se em estágio secundário médio de regeneração, em decorrência da erradicação do café na região, na década de 50, que gerou uma diminuição da ocupação e pressão de novas áreas na mata da região. É um importante atrativo turístico do município de Vargem Alta, sendo muito procurada por turistas, pela sua beleza, e por estudantes, professores, pesquisadores, devido à variedade de sua fauna e flora. Muitos dos visitantes são praticantes do ecoturismo e de esportes de aventura, pelo que se destaca, por diversas vezes, na imprensa local.

Colégio Salesiano

O Colégio Salesiano foi construído pelos moradores de Vargem Alta e região no início do século XX, sendo a primeira instituição de ensino do município. O prédio, que é um dos principais cartões postais Vargem Alta, funcionou  por mais de 60 anos como centro de instrução e formação para a juventude da região, até a década de 70. A partir de então, deixou de ser centro educacional, passando a sediar encontros religiosos.

Cachoeira do Colégio Salesiano
Localizada no distrito de Jaciguá, à 12 km da sede, possui queda d’água vertical. Os banhos na cachoeira são proibidos.

Presépio Mecânico

Presépio Artístico

O Presépio do Distrito de Jaciguá, que é um dos cartões postais de Vargem Alta, região serrana do Estado, foi criado em 1956, pelo artista, artesão e padre salesiano Agostinho Bastianello. Conta com aproximadamente 130 figuras movimentadas, construídas em madeira, metal, gesso, lata e plástico, entre outros materiais.

Possui mais de 50 metros quadrados, e a obra artística foi construída artesanalmente, desde as mais simples figuras até os grandes mecanismos que as movimentam. Cachoeiras e lagos com água corrente, moinhos, montanhas e vales com pedras complementam a fantasia. Há mais de 56 anos, Ana Dalto, moradora do distrito vem cuidando do presépio, dando manutenção no complexo de sistema mecânico que movimenta todos os bonecos.

Está localizado em frente à Igreja São João Batista, no distrito de Jaciguá, a 12 quilômetros da sede. e encanta turistas de todo o país que assistem de perto as várias cenas do cotidiano das pessoas e passagens bíblicas, como a anunciação à Virgem Maria e a ressurreição de Jesus Cristo.

Também já atraiu a atenção da imprensa regional e nacional, pelo seu grande valor cultural e artístico. Nunca foi cobrado nenhum tipo de ingresso para que a população do distrito e região pudesse apreciá-lo

Vargem Alta, parabéns pelos seus 31 anos!

Comentários Facebook
Propaganda

Cidades

Defesa Civil Nacional repassa R$ 96,4 mil para o município de Alegre

Publicados

em

Por

Casa destruída após queda de muro em Alegre. Um homem morreu - Foto: Reprodução / Redes Sociais

O Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), autorizou o repasse de R$ 96,4 mil para ações de defesa civil na cidade de Alegre, no Espírito Santo. A portaria foi publicada nesta sexta-feira (24) no Diário Oficial da União. A cidade capixaba sofreu com chuvas intensas e usará o recurso para a reconstrução de uma ponte. A ação beneficiará cerca de 29,5 mil pessoas.

Em todo o País, estados e municípios atingidos por desastres e que já tenham obtido o reconhecimento federal de situação de emergência ou de estado de calamidade pública podem solicitar recursos do MDR para atendimento à população afetada. As ações envolvem restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução de equipamentos de infraestrutura danificados.

A solicitação deve ser feita por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD). Com base nas informações enviadas, a equipe técnica da Defesa Civil Nacional avalia as metas e os valores solicitados. Com a aprovação, é publicada portaria no DOU com a especificação do montante a ser liberado.

Comentários Facebook

Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana