conecte-se conosco


Cidades

Vargem Alta inicia capacitação de educadores para criação de disciplina sobre ecossistemas, história e geografia do município

Publicados

em

Fotos: Divulgação

Conhecer os ecossistemas, a geografia, os ciclos econômicos e a história da ocupação do território de Vargem Alta, este é o objetivo do Programa Ser Mata Atlântica, programa de educação ambiental que prevê a formação continuada de educadores ambientais e diversas ações nas escolas da rede de ensino do município conhecido como a cidade do Verde e das Águas.

Lançado nesta terça-feira (2), na Reserva Ambiental Águia Branca, o programa é uma parceria entre Prefeitura Municipal, a Reserva Águia Branca, o Governo do Estado e o programa de Conservação da Saíra-apunhalada.

O evento marcou a aula inaugural da formação de educadores do município e contou com a presença de professores da rede municipal, de representantes de instituições e lideranças locais ligadas à área ambiental.

Inicialmente, o público-alvo da capacitação são os professores de ciências, história e geografia, além de pedagogos e professores do Fundamental 1, técnicos da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e demais pessoas que estejam juntas com o objetivo de preservar a Mata Atlântica.

A disciplina começa a ser aplicada a partir de 2023 nas EMEBs José Helvécio Altoé e Alzira Gomes, com duas aulas com carga horária total de 400 horas.

O primeiro trimestre falará sobre a ocupação histórica do município, os aspectos históricos e culturais da imigração e os ciclos econômicos. O segundo trimestre terá uma pegada mais ecológica, sobre clima, recursos hídricos, fauna e flora. E o terceiro trimestre será voltado para prática e projetos, reverberando o conhecimento adquirido em sala de aula e mostrando na prática aos alunos.

O prefeito Elieser Rabello lançou a ideia como um desafio e as Secretarias Municipais de Meio Ambiente e Educação estruturaram a proposta em parceria com a Reserva Águia Branca

O prefeito Elieser Rabello falou da alegria de ver este projeto iniciado. “Estou muito feliz, pois esboçamos uma ideia e hoje vejo essa ideia virando uma realidade. Aprendi muita coisa com meus filhos sobre preservação do meio ambiente. Quando a gente ouve nossos filhos a gente se sensibiliza. Vargem Alta tem grandes parceiros neste projeto, como a Reserva Água Branca, o Governo do Estado, através do IEMA e da Agerh, o Ifes de Venda Nova, onde os estudantes poderão vir aqui em Vargem Alta aplicar na prática o que aprendem em sala, o Programa de Conservação da Saíra-apunhalada do Instituto Marcos Daniel, e todos aqueles que desejarem preservar a Mata Atlântica e educar os mais jovens sobre a importância e a riqueza desse ecossistema”, disse Rabello.

A gestora de sustentabilidade da Reserva Águia Branca, Adriana Denadai, se emocionou ao falar do trabalho que está sendo realizado na região. Adriana agradeceu ao prefeito e aos secretários municipais de Meio Ambiente, Educação e Turismo, envolvidos no programa, além representantes de outros órgãos estatais presentes, como o Instituto Estadual de Meio Ambiente (IEMA) e da Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh).

“Hoje é um marco de nossa história que começou cinco anos atrás com o objetivo de fazer esse espaço, instituindo um pacto perpétuo de preservação dessa RPPN (Reserva Particular do Patrimônio Natural). Estamos construindo essa história com muitas parcerias e estudando outros exemplos pelo país. Diagnosticado o potencial de biodiversidade e socioeconômico, nós entendemos que poderíamos ir muito além de apenas preservar. Resolvemos estruturar o local para receber visitantes e turistas. Aí veio a ideia do hotel, recebendo estudantes e turistas, propiciando essa vivência na natureza por um tempo mais prolongado do que uma mera visita de campo. Preservar e manter uma reserva é uma super responsabilidade, mas precisamos ir além. Precisamos sensibilizar as pessoas, chegar nos alunos e nas famílias. Vargem Alta está fazendo história com esse projeto transformador”, disse Adriana.

A secretária municipal de Educação, Michele Sampaio, apresentou o conteúdo programático de capacitação do Programa Ser Mata Atlântica e detalhou como a disciplina deverá ser trabalhada, além de falar das dificuldades iniciais de implantar o projeto.

“Uma disciplina que mexe com nossa identidade. Se a gente soubesse como a ocupação de nosso território se constituiu para ser o que é hoje ou se aprendêssemos sobre todas as espécies de plantas e animais raros de nossa região, hoje o mundo seria bem diferente. Quando Elieser lançou este desafio, fiquei pensando em como fazer isso. Então acionei a equipe pedagógica para estruturarmos tudo. O Programa envolvia fatores como logística, vida funcional e contratação de pessoal, mas quando se tem um propósito, as oportunidades e respostas vão surgindo,” disse Michele.

Além de educadores, do prefeito Elieser Rabello e dos secretários municipais de Educação, de Meio Ambiente e de Turismo, Michele Sampaio, Helimar Rabello e Elias Abreu (Maninho), o evento também contou com as presenças da procuradora-geral do município, Paula Sartório, do assessor de gestão da Prefeitura, Anderson Deprá, do representante do Ministério Público do Espírito Santo, Marcos Marsaioli, do Procurador do Trabalho da 17ª Região, Dr. Djailson Martins Rocha, do representante do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Novo, de representantes do Governo do Estado do Espírito Santo, através da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, da Agerh e do Iema, Anderson Ferrari e Ana Tristão, de representante do Instituto Marcos Daniel e do Programa de Conservação da Saíra-apunhalada, Marcelo Renan de Deus, dos professores do Ifes de Venda Nova do Imigrante, Aramis Cortês e Marco Antônio Satler, da presidente da Câmara Municipal de Vargem Alta, Alessandra Fassarela, e dos vereadores Mara David e Walaci Pizeta, da Diretora de Relações Institucionais do Grupo Águia Branca, Simone Garcia, e da Gestora de Sustentabilidade e da Reserva Águia Branca, Adriana Denadai.

Comentários Facebook

Cidades

Sebrae realiza a instalação de internet em duas comunidades de Alegre e Conceição do Castelo

Publicados

em

Por

Distritos em Conceição do Castelo e Alegre foram beneficiados pelo programa Wi-Fi Brasil

Moradores de duas comunidades rurais do Espírito Santo receberam no último mês a instalação de antenas de internet para facilitar a comunicação e o acesso à informação, através do programa Wi-Fi Brasil, desenvolvido em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

No distrito localizado em Conceição do Castelo, cerca de 500 produtores rurais e da agricultura familiar foram beneficiados com a instalação. Já em Feliz Lembrança, comunidade de Alegre, 60 famílias já estão com acesso à internet.

“Entendemos que é necessário, especialmente nos dias de hoje, que todas as pessoas tenham acesso à internet, pois é lá que a comunicação acontece. Disponibilizar o wi-fi para essas comunidades significa oferecer oportunidades de negociações, e ampliar as possibilidades de mercado e renda para as famílias”, finaliza o gerente regional do Sebrae/ES, Ivair Segheto.

O empreendedor Fábio de Souza, dono da agroindústria Frumel, está entre os beneficiados pelo programa em Alegre. Ele conta que antes da instalação, os moradores compartilhavam a rede móvel e poucas casas tinham ponto de internet.

“Antes os vizinhos se ajudavam, um ia para a casa do outro para usar a internet. Agora com o ponto de acesso na praça, as pessoas vão até o centro comunitário para fazer suas pesquisas. Esse projeto do Sebrae é importante porque deixa a comunidade conectada 24 horas e fortalece inclusive a permanência do jovem na região, incentiva que eles criem algo, façam seus estudos e cursos online, além de reduzir a diferença de acesso à tecnologia entre campo e cidade”, ressalta Fábio.

Ao todo a região conta com seis agroindústrias, uma pequena fábrica de calçados, além dos pequenos prestadores de serviço da comunidade, todos impactados positivamente pelo programa.

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana