conecte-se conosco


Economia

Viação Itapemirim: Justiça destitui Camila Valdívia do comando da empresa

Publicados

em

O desembargador Azuma Nishi, da 1ª Câmara de Direito Empresarial do TJSP – Tribunal de Justiça de São Paulo, destitui Camila de Souza Valdívia do comando das empresas do Grupo da Viação Itapemirim, uma das mais tradicionais companhias de transportes rodoviários do País e que está em recuperação judicial desde 2016.

A decisão reconstitui a função ao empresário e sócio de Camila, Sidnei Piva de Jesus, e foi tomada nesta quinta-feira, 19 de dezembro.

O magistrado aceitou a argumentação de Sidnei num agravo de instrumento. O empresário alegou que havia irregularidades na gestão de Camila que descumpriam pontos do Plano de Recuperação Judicial.

Relator do processo, Azuma escreveu que há uma “grave animosidade” entre os sócios que pode prejudicar as empresas.

“Tal medida se torna necessária, como dito, diante da grave animosidade entre os sócios, sendo impossível e contraproducente, a prejudicar as empresas e ao plano de recuperação, a manutenção da gestão compartilhada entre Sidnei e Camila” – diz trecho da decisão.

Camila continua como sócia, mas sem poder de decisão.

Sidnei disse que espera apresentar um novo plano de recuperação em meados de 2020 e que colocou uma auditoria externa para verificar a situação real das empresas do Grupo Itapemirim. Sidnei ainda disse que não haverá demissões de motoristas e outros profissionais de operação, mas a diretoria foi destituída.

“Gastos excessivos de cartão, viagens excessivas de avião da Camila para todo o País, patrocinando Festa de Barretos, enfim, tudo que já foi publicado em diversos jornais e isso depõe contra a recuperação” – acusou Sidnei.

Também ouvimos Camila, que informou que vai recorrer. A empresária disse que acreditar que o desembargador foi induzido a erro e que se houvesse irregularidades, a empresa não cresceria neste ano em torno de 25%.

“A empresa em 2019, cresceu 25%, fez uma contratação que representa 10% no quadro de funcionários. A empresa no ranking da ANTT (Associação Nacional de Transportes Terrestes) evoluiu muito, a empresa melhorou a qualidade de operação. A empresa não atrasou um salário em 2019 e voltou a pagar o fundo de garantia que há mais de dez anos não era pago, a empresa voltou a pagar a parte fiscal e social. Se a empresa tivesse algum desvio teria todo este crescimento?” – declara Camila.

Fonte: Da Hora ES

Comentários Facebook
Propaganda

Economia

Caixa paga Auxílio Brasil a cadastrados com NIS final 6

Publicados

em


A Caixa paga nesta terça-feira (25) o Auxílio Brasil a beneficiários com Número de Inscrição Social (NIS) final 6. O valor mínimo do benefício é R$ 400. As datas seguirão o modelo do Bolsa Família, que pagava os beneficiários nos dez últimos dias úteis do mês.

Em janeiro, foram incluídas 3 milhões de famílias no programa, aumentando para 17,5 milhões o total atendido. Segundo o Ministério da Cidadania, serão gastos R$ 7,1 bilhões neste mês com o Auxílio Brasil.

O beneficiário poderá consultar informações sobre datas de pagamento, valor do benefício e composição das parcelas em dois aplicativos: Auxílio Brasil, desenvolvido para o programa social, e o aplicativo Caixa Tem, usado para acompanhar as contas poupança digitais do banco.

Confira o calendário:

Final do NIS Dia do pagamento
1 18 de janeiro
2 19 de janeiro
3 20 de janeiro
4 21 de janeiro
5 24 de janeiro
6 25 de janeiro
7 26 de janeiro
8 27 de janeiro
9 28 de janeiro
0 31 de janeiro

Auxílio Gás

O Auxílio Gás também é pago hoje – retroativamente – às famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), com NIS final 6. O benefício segue o calendário regular de pagamentos do Auxílio Brasil.

Com duração prevista de cinco anos, o programa beneficiará 5,5 milhões de famílias até o fim de 2026, com o pagamento de 50% do preço médio do botijão de 13 quilos a cada dois meses. Atualmente, a parcela equivale a R$ 52. Para este ano, o Auxílio Gás tem orçamento de R$ 1,9 bilhão.

Só pode fazer parte do programa quem está incluído no CadÚnico e tenha pelo menos um membro da família que receba o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

A lei que criou o programa definiu que a mulher responsável pela família terá preferência, assim como mulheres vítimas de violência doméstica.

Benefícios básicos

O Auxílio Brasil tem três benefícios básicos e seis suplementares, que podem ser adicionados caso o beneficiário consiga emprego ou tenha filho que se destaque em competições esportivas ou científicas e acadêmicas.

Podem receber o benefício as famílias com renda per capita até R$ 100, consideradas em situação de extrema pobreza, e aquelas com renda per capita até R$ 200, consideradas em condição de pobreza.

A Agência Brasil elaborou guia de perguntas e respostas sobre o Auxílio Brasil. Entre as dúvidas que o beneficiário pode tirar estão critérios para integrar o programa social, nove diferentes tipos de benefícios e o que aconteceu com o Bolsa Família e o auxílio emergencial, que vigoraram até outubro.

Edição: Graça Adjuto

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana