conecte-se conosco


Grande Vitória

Vitória registrou recorde da menor temperatura dos últimos 93 anos com 11,6º C

Publicados

em

Na madrugada desta quinta-feira (19), Vitória registrou 11,6° C, na estação meteorológica automática localizada na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), campus Goiabeiras, constatando o recorde de temperatura mínima dos últimos 93 anos. O recorde histórico ocorrido na Capital foi de 10,3 °C, em 21 de julho de 1929, registrado na estação meteorológica convencional, em Ilha de Santa Maria.

Também na região Metropolitana, Vila Velha teve a madrugada mais fria com 9,1° C, o menor registro histórico desde a instalação da estação meteorológica, em 2017. A análise dos dados históricos foi realizada pela coordenação de Meteorologia do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper).

Em Aracê, Domingos Martins, o registro foi de 1,5° C, a menor temperatura desde a instalação da estação meteorológica automática do Incaper, em 2010, na Fazenda Experimental Mendes da Fonseca. O registro representa a menor temperatura do Espírito Santo dos últimos 59 anos. De acordo com a série histórica, o recorde de menor temperatura do Estado é de -1,0° C, ocorrido em 14 de julho de 1963 e registrado pela estação meteorológica convencional instalada no mesmo local.

Na região Serrana, em Venda Nova do Imigrante, a estação meteorológica do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), instalada na Fazenda Experimental do Incaper, no município, registrou a mínima de 3,9 °C, sendo o menor registro ocorrido desde a instalação da estação, em 2017. No entanto, o registro não superou o recorde da temperatura mínima de 2,6°C, ocorrido em 1º de junho de 1979.

“Conforme estava previsto pela Coordenação de Meteorologia do Incaper, a madrugada desta quinta-feira (19) foi a mais fria do ano, baseado nas medições das estações meteorológicas operadas pela rede de observações meteorológicas do Espírito Santo. A massa de ar de origem polar está avançando sobre o Estado e tem provocado um declínio acentuado nas temperaturas”, destacou Hugo Ramos, coordenador de Meteorologia do Incaper.

Confira as principais mínimas nos municípios registradas na madrugada desta quinta-feira (19), em estações meteorológicas operadas pelo Incaper e pelo Inmet.

  • Vila Velha (Inmet): 9,1°C
  • Vitória (Inmet): 11,6 °C
  • Venda Nova do Imigrante (Inmet): 3,9 °C
  • São Mateus (Inmet): 13,8 °C
  • Pres. Kennedy (Inmet): 16,5 °C
  • Nova Venécia (Inmet): 14,9 °C
  • Marilândia (Inmet): 14,7 °C
  • Linhares (Inmet): 14,9 °C
  • Ecoporanga (Inmet): 13,4 °C
  • Alfredo Chaves (Inmet): 11,8 °C
  • Alegre (Inmet): 10,3 °C
  • Afonso Cláudio (Inmet): 6,8 °C
  • Aracê, Domingos Martins (Incaper): 1,5 °C
  • Cachoeiro de Itapemirim (Incaper): 13,9 °C
  • Iúna (Incaper): 8,6 °C

Atualização do Aviso Meteorológico

O Aviso Meteorológico, emitido pela Coordenação de Meteorologia do Incaper, foi atualizado nesta quinta-feira (19), com indicação de nível de atenção devido às condições favoráveis para os baixos níveis de umidade do ar. Os índices de umidade relativa do ar deverão atingir valores entre 30% e 20% no período da tarde desta quinta-feira (19).

Entre esta quinta-feira (19) e sábado (21), o aviso permanece com o nível de atenção devido às condições meteorológicas favoráveis para ocorrência de declínio acentuado de temperatura, que podem resultar em temperaturas mínimas de até 5,0 °C, inferiores à média climatológica para o mês de maio. Durante esse período, as condições são favoráveis para o risco de formação de geada na vegetação. Acesse o Aviso Meteorológico.

Para os próximos dias, a tendência é que as temperaturas continuem amenas no Espírito Santo por conta da atuação da massa de ar polar. Mais detalhes sobre a tendência da previsão para os próximos dias podem ser acessados em: meteorologia.incaper.es.gov.br.

Comentários Facebook
Propaganda

Grande Vitória

Serra: TCA pode resolver problema de saneamento

Publicados

em

Por

Comissão de Defesa do Consumidor acolheu demandas de moradores da Serra - Foto: Lucas S. Costa

Um Termo de Compromisso Ambiental (TCA) foi a saída encontrada pela Comissão de Defesa do Consumidor para solucionar o problema de ausência das redes de abastecimento de água e de esgoto em parte do bairro Acréscimo das Laranjeiras, na Serra. A proposta foi apresentada na reunião desta segunda-feira (27) pelo presidente do colegiado, Vandinho Leite (PSDB), com o apoio do Ministério Público Estadual (MPES).

A medida foi bem recebida pela Companhia Espírito Santense de Saneamento (Cesan) e pela concessionária Ambiental Serra, responsáveis, respectivamente, pelo fornecimento de água e tratamento de esgoto na cidade. O gerente de Obras da Cesan, Daniel Caulyt, afirmou que as intervenções podem começar 30 dias após assinatura do TCA.

No entanto, Caulyt condicionou a realização das obras à assinatura do termo pela prefeitura e pelo empreendedor, que teria feito o loteamento no bairro de “forma irregular”. Segundo explicou o representante da companhia, os recursos empregados na extensão da rede de água terão que ser ressarcidos pela empresa que loteou os terrenos.

Sobre a rede de esgoto, o diretor da Serra Ambiental, Justino Brunelli, falou que as intervenções só poderão ser feitas no ano que vem, haja vista que os contratos da concessionária são assinados anualmente – o deste ano já foi sacramentado. O prazo para a construção, projetou, seria o ano de 2023, data final que a empresa tem para universalizar a rede de esgoto no município.

Justino disse que as intervenções dependem de estudos prévios envolvendo a topografia da região para buscar pontos de instalação das elevatórias. Conforme destacou, é preciso se inteirar ainda de questões legais para saber se haverá necessidade de desapropriações. Segundo ele, residências que já contam com saída de esgoto são automaticamente interligadas à rede a custo zero pela concessionária.

O vice-presidente da associação da comunidade, Moises Viana, criticou a demora para resolver esses problemas, que se estendem desde 2008. “É desumano o que estamos passando na nossa comunidade”, afirmou. Viana disse que prefeitura e câmara de vereadores já foram procuradas, mas não houve solução. Um dos impactos do impasse é o lançamento de esgoto diretamente na Lagoa Juara.

De acordo com o parlamentar Vandinho Leite, ficou acordado que a ata da reunião será remetida ao Ministério Público para a elaboração do TCA com os órgãos envolvidos e com a participação da Comissão de Defesa do Consumidor como testemunha.

Contratos de loteamento
Ainda na reunião, os deputados receberam reclamações de moradores do loteamento Serra Ville, no bairro Continental, na Serra. Eles acusam a empresa que loteou o terreno de praticar reajustes impagáveis nas parcelas contratuais adquiridas pelos moradores. A taxa de correção estaria atrelada ao Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), que subiu significativamente.

Por isso, parcelas mensais que giravam na casa dos R$ 400 hoje estariam valendo mais do que o dobro. O mesmo movimento de aumento estaria impactando as parcelas anuais que tinham no começo o valor de R$ 1,7 mil e hoje já praticamente alcançam os R$ 3 mil.

Atendendo à sugestão de Vandinho Leite (PSDB), o colegiado, com anuência do deputado Delegado Danilo Bahiense (PL), aprovou a convocação de representantes da empresa, com a presença do Procon, para explicar os aumentos e eventuais cláusulas abusivas. Foi aventada a possibilidade de ingressar com uma ação civil pública contra a empresa, que defende a legalidade dos reajustes amparados no contrato.

 

Comentários Facebook
Continue lendo

CIDADES

ESTADO

POLÍTICA

ENTRETENIMENTO

Mais Lidas da Semana